Nos siga em

O QUE ESTÁ PROCURANDO

J. Robert Oppenheimer curiosidades
(Getty)

Entretenimento

5 curiosidades que você precisa saber sobre o Oppenheimer da vida real

Com o lançamento do filme “Oppenheimer” na sexta-feira, o público está tendo uma nova visão do físico apelidado de “pai da bomba atômica”.

Cillian Murphy interpreta o papel principal no filme biográfico dirigido por Christopher Nolan, baseado na biografia vencedora do Prêmio Pulitzer de 2005 de Kai Bird e Martin Sherwin, “American Prometheus: The Triumph and Tragedy of J. Robert Oppenheimer”.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Gregg Herken, autor de “ Brotherhood of the Bomb : The Tangled Lives and Loyalties of Robert Oppenheimer, Ernest Lawrence e Edward Teller”, descreveu Oppenheimer como “complicado e contraditório”.

Aqui estão cinco fatos pouco conhecidos sobre o Oppenheimer da vida real, que antes de morrer de câncer na garganta aos 62 anos em 1967, mudou o curso da história:

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Inteligência extraordinária desde cedo

A inteligência extraordinária de J. Robert Oppenheimer ficou evidente desde cedo. Em um perfil publicado pelo New York Times em 1963, foi relatado que quando ele ainda era um jovem estudante na terceira ou quarta série, ele fez uma visita pouco comum ao parquinho.

“Uma criança jogou uma bola para fora do parquinho e o diretor criticou o arremesso”, relatou o veículo. “Mas o jovem Robert calculou a força com que a bola atingiu a calçada e demonstrou que não poderia ter machucado ninguém.”

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Como aluno da terceira série, Oppenheimer também já estava conduzindo experimentos de laboratório, escreveram Sherwin e Bird em seu livro.

Aos 10 anos, ele estudou física e química.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

E de acordo com os autores de “American Prometheus”, o intelecto de Oppenheimer às vezes parecia “precioso demais”.

“Quando ele tinha nove anos, uma vez foi ouvido dizendo a uma prima mais velha: ‘Faça-me uma pergunta em latim e eu responderei em grego’”.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

O nome de Oppenheimer e o mistério do ‘J’

A certidão de nascimento de Oppenheimer indica que o “J” em seu nome era uma homenagem a seu pai, Julius.

O pai do cientista, Bird e Sherwin escreveram, “já havia decidido nomear seu primogênito Robert, mas no último momento, de acordo com as histórias da família, ele decidiu adicionar uma primeira inicial, ‘J’, na frente de ‘Robert’.”

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

No entanto, o Laboratório Nacional de Los Alamos observou em um artigo que em uma carta de 1946 para o Escritório de Patentes dos EUA, Oppenheimer escreveu: “Isso é para certificar que não tenho outro nome além da letra J e que meu nome completo e correto é J Robert Oppenheimer.”

Seja qual for o caso, Oppenheimer seria “sempre chamado de Robert”, de acordo com Bird e Sherwin.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Oppenheimer teve aulas particulares para aprender sânscrito

Após conhecer um professor de sânscrito na Universidade da Califórnia, Berkeley, Oppenheimer buscou tutoriais particulares para aprender a antiga língua.

“Ele gostava de coisas difíceis”, disse o amigo de Oppenheimer, Harold Cherniss, como relatado por Bird e Sherwin no livro.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

“E como quase tudo era fácil para ele”, Cherniss disse, “as coisas que realmente atraíam sua atenção eram essencialmente as difíceis”.

Logo após o início das aulas, Oppenheimer estava lendo a escritura hindu Bhagavad-Gita.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

“Ele tinha facilidade para línguas”, disse Herken, contando como Oppenheimer dava palestras em holandês enquanto ministrava um curso na Universidade de Leiden, na Holanda.

Quando Oppenheimer convocou um de seus alunos de pós-graduação para assumir uma aula para ele, o aluno respondeu: “Mas Robert, eu não falo holandês”.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

No entanto, Oppenheimer supostamente retrucou ao aluno: “É um holandês tão fácil.”

Einstein o aconselhou a evitar a caça às bruxas do Red Scare

A autorização de segurança de Oppenheimer tornou-se o foco de uma audiência de quatro semanas em 1954 pela Comissão de Energia Atômica dos Estados Unidos.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Embora Herken reconheça que Oppenheimer tinha alguns laços com o Partido Comunista – chamando-o de “relação casual” – a comissão acabou retirando sua autorização de segurança após a audiência em um movimento que os críticos disseram cheirar aos medos do Red Scare da era McCarthy.

Antes da audiência, Albert Einstein tentou persuadir o colega cientista Oppenheimer a renunciar à comissão e potencialmente evitar a batalha pública.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

“Einstein argumentou que Oppenheimer ‘não tinha obrigação de se sujeitar à caça às bruxas, que havia servido bem a seu país e que, se essa era a recompensa que ela [a América] oferecia, ele deveria virar as costas para ela’”, escreveram Bird e Sherwin em seu livro.

Depois que Oppenheimer rejeitou o conselho, Einstein “caminhava para seu escritório em Fuld Hall e, acenando com a cabeça na direção de Oppenheimer, disse ao seu assistente: ‘Ali vai um narr’”, que significa tolo.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Mais tarde sentiu culpa por seu papel no Projeto Manhattan

“Quando a bomba explodiu, não havia dúvida de que Oppenheimer efetivamente comemorou”, disse Herken, historiador e ex-professor da Universidade da Califórnia, Santa Cruz e Merced.

Mas depois que dezenas de milhares de pessoas morreram em 1945, quando os Estados Unidos lançaram duas das bombas que Oppenheimer ajudou a criar nas cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki, o físico “teve essas dúvidas”.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

“Ele certamente tinha reservas e algum sentimento, penso eu, de culpa depois do fato, depois que os números das baixas chegaram”, disse Herken.

Em uma carta de 1945 dirigida ao então secretário de Guerra Henry Stimson, Oppenheimer escreveu: “Acreditamos que a segurança desta nação – em oposição à sua capacidade de infligir danos a uma potência inimiga – não pode residir totalmente ou mesmo principalmente em suas proezas científicas ou técnicas”.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

 “Pode basear-se apenas em tornar as guerras futuras impossíveis”, disse ele.

“Ele nunca se desculpou pela bomba”, disse Herken. “Ele nunca disse: ‘Lamento que a bomba tenha sido usada’. Acho que seu argumento era – talvez ele não tenha expressado com tantas palavras – mas que era necessário.”

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO
Escrito Por

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Destaques

uspeitos de matar PM e filha em S

São Paulo

A Polícia Civil de São Paulo identificou os três suspeitos de envolvimento nas mortes do policial militar Anderson de Oliveira Valentim, de 46 anos,...

Capa

A Avenida Paulista, em São Paulo, foi tomada por milhares de apoiadores de Jair Bolsonaro (PL) neste domingo (25) em um ato em defesa...

Brasil

A Secretaria da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) do Rio Grande do Norte está oferecendo uma recompensa de R$ 15 mil por...

Últimas Notícias

Novos dados divulgados  pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira, 23, apontam um crescimento significativo no número de pessoas vivendo em...

Brasil

Apesar do progresso nas últimas décadas, o Brasil ainda enfrenta um desafio significativo no quesito saneamento básico: mais de 1,2 milhão de pessoas (0,6%...

Ciência e Tecnologia

Um módulo espacial americano não tripulado pousou com sucesso na Lua na quinta-feira (22), marcando a primeira vez que uma nave espacial dos EUA...

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Brasil

Últimas Notícias

Empresário Allan Barros, conhecido nas redes sociais como Allan Deivid de Barros, foi preso em Curitiba durante a Operação Fast da Polícia Federal, que...

São Paulo

Uma ação rápida da Polícia Militar resultou na recuperação de 1,5 tonelada de alimentos roubados em Carapicuíba na manhã desta quarta-feira (28). A carga,...

Brasil

Edilson Barbosa dos Santos, conhecido como Orelha, foi preso nesta quarta-feira (28) em Santa Cruz da Serra, Duque de Caxias, pela Polícia Federal e...

Brasil

Um membro do Comando Vermelho (CV) que estava foragido da Justiça conseguiu enganar as autoridades mesmo após sua prisão. Levi dos Santos da Silva,...

Brasil

 Yasmin dos Santos Oliveira, de apenas 5 anos, morreu após cair de uma van escolar em movimento em Ipirá, na Bahia na tarde de...

Alexandre Nardoni Alexandre Nardoni

São Paulo

Condenado a mais de 30 anos de prisão pela morte da filha Isabella, Alexandre Nardoni pode sair da prisão a partir de abril para...

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO