Nos siga em

O QUE ESTÁ PROCURANDO

grécia
(Pixabay)

Mídia

O país do ano de 2023 segundo a The Economist

De acordo com o The Economist Newspaper, historiadores não registrarão 2023 como um ano feliz para a humanidade. Houve guerras, regimes autocráticos e, em muitos países, líderes autoritários desrespeitaram as leis e restringiram a liberdade. Este é o sombrio pano de fundo para o nosso prêmio anual de “país do ano”. Se o prêmio fosse para a resistência do povo comum diante do horror, haveria muitos candidatos, desde os palestinos e israelenses em seu amargo conflito até os sudaneses que fogem enquanto seu país implode.

No entanto, desde que começamos a nomear os países do ano em 2013, procuramos reconhecer algo diferente: o lugar que mais melhorou. A busca por um ponto positivo em um mundo sombrio levou alguns de nossos colaboradores ao desespero, chegando a propor “Barbie Land”, a utopia rosa fictícia de uma superprodução de Hollywood. Mas na vida real, há dois grupos de países que merecem reconhecimento em 2023.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

O primeiro inclui lugares que resistiram à pressão de vizinhos autocráticos. Não se pode dizer que a vida na Ucrânia tenha melhorado, mas o país continuou corajosamente sua luta contra a maquinaria bélica de Vladimir Putin, apesar das vacilações de seus apoiadores ocidentais. Moldávia resistiu à intimidação russa. Finlândia juntou-se à aliança da OTAN, e a Suécia o fará em breve. Na Ásia, vários países se mantiveram firmes diante da agressão chinesa, muitas vezes em colaboração com os Estados Unidos. Filipinas defendeu suas fronteiras marítimas e o direito do mar contra navios chineses muito maiores. Em agosto, Japão e Coreia do Sul superaram suas disputas históricas para fortalecer a cooperação. O Estado insular de Tuvalu, com 11.000 habitantes, acaba de assinar um tratado com a Austrália que protege sua população contra as mudanças climáticas e inclui uma garantia de segurança para evitar a influência da China.

Nosso segundo grupo de países defendeu a democracia ou os valores liberais em casa. A frágil Libéria, devastada pela guerra, alcançou uma transferência pacífica de poder. O Timor-Leste fez o mesmo, mantendo sua reputação de respeito aos direitos humanos e à liberdade de imprensa. Em alguns países de médio porte, como Tailândia e Turquia, a esperança vacilou quando a oposição pressionou fortemente para derrubar os regimes autocráticos, mas estes se mantiveram em eleições inclinadas a seu favor.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Três países se destacam por seu retorno à moderação após um período turbulento. O Brasil assumiu a liderança com um presidente de centro-esquerda, Luiz Inácio Lula da Silva, após quatro anos de populismo enganoso sob Jair Bolsonaro. A nova administração rapidamente restabeleceu a normalidade e reduziu o desmatamento da Amazônia em quase 50%. No entanto, o histórico impressionante do Brasil foi manchado pela aliança de Lula com Putin e o ditador venezuelano Nicolás Maduro. Como resultado, o Brasil perde o prêmio.

A Polônia teve um ano extraordinário em 2023: sua economia resistiu ao impacto da guerra, continuou acolhendo quase um milhão de refugiados ucranianos e, para dissuadir a Rússia, aumentou os gastos com defesa acima de 3% do PIB, dando um exemplo aos seus colegas econômicos na OTAN. O principal problema do país foi o domínio do partido populista nacionalista Lei e Justiça (PiS), que governou nos últimos oito anos, minando a independência dos tribunais, controlando os meios de comunicação estatais e alimentando o capitalismo de compadrio. Em outubro, os eleitores se livraram do PiS em favor de vários partidos da oposição. Ainda é cedo para um novo governo de coalizão liderado por Donald Tusk, um veterano centrista, mas se ele conseguir reparar os danos causados ​​às instituições democráticas, a Polônia será um forte candidato ao nosso prêmio no próximo ano.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Resta a Grécia. Há dez anos, estava paralisada por uma crise de dívida e ridicularizada em Wall Street. Os rendimentos despencaram, o contrato social se desfez e partidos extremistas de esquerda e direita prosperaram. O governo se desesperou ao ponto de se aproximar da China e depois vender seu principal porto, o Pireu, a uma empresa chinesa. Hoje, a Grécia está longe de ser perfeita. Acidentes ferroviários em fevereiro revelaram corrupção e infraestruturas deficientes; um escândalo de escutas telefônicas e o mau tratamento a imigrantes sugeriram que as liberdades civis podem ser aprimoradas.

Mas, após anos de dolorosa reestruturação, a Grécia liderou nossa classificação anual de economias do mundo rico em 2023. Seu governo de centro-direita foi reeleito em junho. Sua política externa é pró-americana, pró-europeia e desconfiada da Rússia. A Grécia mostra que, a partir do limite do colapso, é possível promulgar reformas econômicas difíceis e sensatas, reconstruir o contrato social, mostrar um patriotismo moderado e ainda assim vencer as eleições. Agora que metade do planeta votará em 2024, os democratas de todo o mundo deveriam prestar atenção.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Escrito Por

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Destaques

uspeitos de matar PM e filha em S

São Paulo

A Polícia Civil de São Paulo identificou os três suspeitos de envolvimento nas mortes do policial militar Anderson de Oliveira Valentim, de 46 anos,...

Capa

A Avenida Paulista, em São Paulo, foi tomada por milhares de apoiadores de Jair Bolsonaro (PL) neste domingo (25) em um ato em defesa...

Brasil

A Secretaria da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) do Rio Grande do Norte está oferecendo uma recompensa de R$ 15 mil por...

Últimas Notícias

Novos dados divulgados  pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira, 23, apontam um crescimento significativo no número de pessoas vivendo em...

Brasil

Apesar do progresso nas últimas décadas, o Brasil ainda enfrenta um desafio significativo no quesito saneamento básico: mais de 1,2 milhão de pessoas (0,6%...

Ciência e Tecnologia

Um módulo espacial americano não tripulado pousou com sucesso na Lua na quinta-feira (22), marcando a primeira vez que uma nave espacial dos EUA...

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Brasil

Grupo expulso cinema fumar maconha Bob Marley

Brasil

No Grande Recife, um grupo de jovens foi expulso na última segunda-feira (26) de uma sessão de cinema do filme sobre a biografia do...

Últimas Notícias

O prefeito Eduardo Paes (PSD) e o governador Cláudio Castro (PL) anunciaram nesta quarta-feira (28) o fim da tolerância com a presença de ambulantes...

São Paulo

Na terça-feira (27), a Polícia Civil realizou operações em dois locais de desmanche de veículos, resultando na prisão de dois suspeitos em flagrante. As...

Criminoso faz sinal da cruz antes de furtar casa de veraneio em Peruíbe, no litoral de SP Criminoso faz sinal da cruz antes de furtar casa de veraneio em Peruíbe, no litoral de SP

São Paulo

Um criminoso foi gravado fazendo o sinal da cruz momentos antes de cometer um furto em Peruíbe, no litoral de São Paulo (SP). A informação é...

Aluno arma escola Goiás Aluno arma escola Goiás

Brasil

Na manhã desta quarta-feira (28), um aluno de 17 anos feriu um colega ao levar uma arma para mostrar a amigos da escola em...

Últimas Notícias

A Polícia Civil de São Paulo deflagrou nesta quarta-feira (28) a Operação Double Shot, com o objetivo de desmantelar uma quadrilha especializada em golpes...

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO