CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A Justiça dos Estados Unidos prendeu na sexta-feira (14), um ex-oficial da CIA suspeito de ter vendido segredos de defesa confidenciais dos EUA ao governo da China durante uma década. O caso de suposta espionagem envolvendo Alexander Yuk Ching Ma, 67 anos, só veio à tona ontem (17) no Havaí.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Segundo a Justiça, o homem recebeu milhares de dólares do Partido Comunista da China (PCC) pelas informações. Cidadão naturalizado naturalizado, ele foi detido depois de confessar a um agente do FBI disfarçado o que fez, bem como o desejo de ver “a pátria mãe” bem-sucedida em suas ações contra o Ocidente.

Segundo investigadores, Yuk Ching Ma começou a trabalhar para a CIA em 1982, com acesso a informações de alta segurança. Procuradores sustentam que o ex-agente deixou a CIA em 1989. Dessa forma, viveu e trabalhou em Xangai, na China, antes de se mudar para o Havaí em 2001.

A partir daí, passou a alimentar o serviço estrangeiro de inteligência sobre funcionários, operações e métodos de ocultação de comunicações da agência norte-americana.

Além disso, Alexander ainda tentou um emprego no FBI para conseguir mais dados sobre a instituição e repassar aos chineses.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE