CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Noemí M, a jovem apontada como “caso” de Evo Morales afirmou que ela e ex-presidente da Bolívia estavam em um relacionamento desde 24 de maio de 2020. Além disso, a garota também declarou que, antes, já tinha amizade com o político, mas “com um tratamento diferente”. A informação foi confirmada à Polícia e foi divulgada pelo jornalista John Arandia

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A declaração consta em um papel timbrado da Força Especial de Combate ao Crime (Felcc).  De acordo com o jornalista, há meses a jovem foi intimada como testemunha na investigação por sedição e terrorismo que é conduzida contra simpatizantes e seguidores do MAS.

Em ata, a jovem confirma que viajou para o México em 2019 e para a Argentina em 2020, alegando que estava na época de férias na faculdade. Ela foi sozinha e destaca que seus pais financiaram as viagens e a estadia no valor de US $ 1.500 (para o México). Ela indica que teve contato com Evo Morales nos dois países.

Segundo Noemí, ela conheceu Evo em 2015, por meio dos pais, no carnaval realizado no Trópico de Cochabamba. Ela confirmou que veio cumprimentá-lo e que na época ela tinha 16 anos. No entanto, eles só começaram a “falar frequentemente” quando a jovem tinha 17 anos. “Antes eu só o conhecia de vista”, declarou.

A garota lembra que em suas viagens teve contato com uma tia distante chamada Gertrudis, bem como com uma senhora chamada Lourdes, a “secretária” de Evo, de acordo com a apuração do jornalista Arandia. Noemí também afirma ter vivido com Evo Morales por um período na Argentina.

Ao ser questionada se a renda de seus pais fazendeiros permitia que eles pagassem suas despesas de viagens,  a menina respondeu que sua mãe trabalhava em um banheiro público  da Prefeitura de Sacaba e recebia um salário de mais de $ 8.000.

Além disso, ela também revelou que mantinha contato constante com Evo Morales  por telefone, mas não consegue lembrar o número de chamadas feitas e argumenta que estes foram por motivos pessoais.

 

A jovem chegou a admitir que as  fotos encontradas em seu celular são dela com Evo Morales. Ela lembra que o ex-presidente não conversou com ela sobre sua situação processual na Bolívia. “ Todo relato é sentimental,  não político. Minha relação sempre foi sentimental desde que estou com ele”, concluiu a jovem em seu depoimento realizado em julho de 2020.

O Ministério da Justiça da Bolívia apresentou ao Ministério Público uma denúncia penal contra o ex-presidente Evo Morales por ter mantido um suposto relacionamento romântico com uma menor de idade.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE