Nos siga em

O QUE ESTÁ PROCURANDO

Saúde

Estudo Revela Potencial de Diagnóstico Precoce da Esclerose Múltipla

A esclerose múltipla (EM) é uma doença neurodegenerativa, de origem imunológica, que pode causar incapacidade. Em um recente artigo no Infobae, o Dr. Guido Vázquez, neurologista (MN 154081 – MP 65149) do Instituto de Neurociências da Fundação Favaloro – INECO, explicou que essa condição “resulta na perda de várias funções neurológicas devido aos processos inflamatórios que ocorrem no início da doença.

“Consequentemente, as pessoas afetadas podem experimentar sintomas como perda de visão, alterações de sensibilidade, problemas cognitivos, de marcha, de coordenação e de força. Esses eventos são conhecidos como recidivas ou surtos e representam a forma mais comum de manifestação clínica dessa doença”, afirmou o especialista.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Diante dessa realidade, um estudo recente realizado por cientistas da Universidade da Califórnia em São Francisco (UCSF) alertou para a presença de um biomarcador que pode acelerar o diagnóstico e tratamento de pacientes com essa doença neurodegenerativa. Segundo eles, identificaram um precursor no sangue de algumas pessoas que posteriormente desenvolveram a doença. As descobertas foram publicadas na Nature Medicine.

Em cerca de 1 em cada 10 casos de EM, o corpo começa a produzir um conjunto característico de anticorpos contra suas próprias proteínas anos antes do surgimento dos sintomas da doença.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Esses autoanticorpos parecem se ligar tanto às células humanas quanto aos patógenos comuns, possivelmente explicando os ataques imunológicos ao cérebro e à medula espinhal, que são a marca registrada da EM.

Os pesquisadores esperam que um dia esses autoanticorpos descobertos sejam detectados com um simples exame de sangue, dando aos pacientes uma vantagem no tratamento.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

“Nas últimas décadas, houve um movimento no campo para tratar a EM mais precocemente e de forma mais agressiva, com terapias mais novas e mais poderosas”, disse o neurologista da UCSF, Dr. Michael Wilson, principal autor do artigo. “Um resultado diagnóstico como este torna a intervenção precoce mais provável, dando aos pacientes esperança de uma vida melhor”, acrescentou.

Acredita-se que doenças autoimunes, como a esclerose múltipla, sejam causadas, em parte, por reações imunológicas raras a infecções comuns. Em 2014, Wilson uniu forças com Joe DeRisi, presidente do Chan Zuckerberg Biohub SF e principal autor do artigo, para desenvolver melhores ferramentas para desmascarar os culpados das doenças autoimunes.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Segundo expressou Vázquez, existem várias opções terapêuticas para tratar esta doença, com o objetivo de reduzir a atividade inflamatória. “No entanto, em algumas ocasiões, temos dificuldades em controlar as formas graves de apresentação ou temos poucas alternativas terapêuticas para as formas progressivas de início”. Este avanço poderá então tornar-se um ponto de viragem.

Uma nova técnica

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Os pesquisadores utilizaram uma técnica na qual os vírus são projetados para exibir pedaços de proteínas como sinalizadores em sua superfície, chamada sequenciamento de imunoprecipitação por exibição de fagos (PhIP-Seq), e a otimizaram para detectar autoanticorpos no sangue humano. PhIP-Seq detecta autoanticorpos contra mais de 10.000 proteínas humanas, o suficiente para investigar quase qualquer doença autoimune. Em 2019, eles o usaram com sucesso para descobrir uma doença autoimune rara que parecia surgir do câncer testicular.

A EM afeta mais de 900.000 pessoas nos Estados Unidos. Seus primeiros sintomas, como tontura, espasmos e fadiga, podem se assemelhar a outras condições, e o diagnóstico requer uma análise cuidadosa das ressonâncias magnéticas do cérebro. Os cientistas pensaram que o sistema de exibição de fagos poderia revelar os autoanticorpos por trás dos ataques imunológicos da EM e criar novas oportunidades para compreender e tratar a doença.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

O grupo analisou sangue de 250 pacientes com esclerose múltipla coletados após o diagnóstico, bem como amostras colhidas cinco ou mais anos antes, quando ingressaram no exército. Os pesquisadores também analisaram amostras de sangue comparáveis de 250 veteranos saudáveis.

Entre o grande número de indivíduos e o tempo antes e depois das amostras, foi “uma coorte fenomenal de indivíduos para observar como este tipo de autoimunidade se desenvolve ao longo do início clínico desta doença”, Zamecnik disse um dos coautores do estudo.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Anticorpos antes do diagnóstico

Usando apenas um milésimo de mililitro de sangue de cada momento, os cientistas pensaram que veriam um aumento nos autoanticorpos quando os primeiros sintomas da EM aparecessem. No entanto, descobriram que 10% dos pacientes com EM apresentavam uma abundância surpreendente de autoanticorpos anos antes do diagnóstico. Estas dezenas de autoanticorpos seguiram um padrão químico semelhante ao dos vírus comuns, como o vírus Epstein-Barr (EBV), que infecta mais de 85 por cento da população e que, no entanto, foi identificado em estudos anteriores como uma das causas de EM.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Anos antes do diagnóstico, este subconjunto de pacientes com esclerose múltipla apresentava outros sinais de guerra imunológica no cérebro. Ahmed Abdelhak, coautor do artigo e pesquisador de pós-doutorado no laboratório do Dr. Ari Green na UCSF, descobriu que pacientes com esses autoanticorpos tinham níveis elevados de neurofilamentos leves (Nfl), uma proteína que é liberada quando os neurônios se quebram.

As conclusões

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Possivelmente, especularam os pesquisadores, o sistema imunológico estaria confundindo proteínas humanas amigáveis com algum inimigo viral, o que levaria à esclerose múltipla ao longo da vida.

“Quando analisamos pessoas saudáveis com nossa tecnologia, cada pessoa parece única, com sua própria impressão digital de experiência imunológica, como um floco de neve”, disse o principal autor do artigo. É quando a assinatura imunológica de uma pessoa se assemelha à de outra e deixa de parecer um floco de neve que começamos a suspeitar que algo está errado, e é isso que encontramos nesses pacientes com esclerose múltipla”, indicou DeRisi. Para confirmar suas descobertas, a equipe analisou amostras de sangue de pacientes do estudo UCSF ORIGINS. Todos esses pacientes apresentavam sintomas neurológicos e muitos, mas não todos, foram diagnosticados com EM. Mais uma vez, 10% dos pacientes do estudo com diagnóstico de EM apresentaram o mesmo padrão de autoanticorpos. O padrão foi 100% preditivo de um diagnóstico de EM. Tanto no grupo DoD quanto no grupo ‘ORIGINS’, todos os pacientes com este padrão de autoanticorpos tinham EM. O diagnóstico da EM nem sempre é fácil, porque não temos biomarcadores específicos para a doença”, explicou Wilson. “Estamos animados por ter algo que possa fornecer mais certeza diagnóstica mais cedo, para ter uma discussão concreta sobre se o tratamento deve ser iniciado para cada paciente”, concluiu.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO
Escrito Por

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Destaques

frio brasil chuva

Brasil

O Brasil se prepara para receber a primeira onda de frio do ano, de acordo com a previsão divulgada pelo instituto de meteorologia Climatempo....

André Pedroni Motorista André Pedroni Motorista

São Paulo

Na tarde desta quarta-feira (22), o condutor do carro de luxo envolvido no atropelamento de um motociclista em Barueri, na Grande São Paulo, compareceu...

Brasil

Entre quinta-feira (23) e sexta-feira (24), a formação de um ciclone extratropical no oceano, próximo à costa gaúcha, irá acentuar o contraste térmico entre...

Brasil

A denúncia apresentada pelo Ministério Público à Justiça sobre o sequestro da advogada Anic Almeida Peixoto Herdy, de 55 anos, em Petrópolis, revela um...

Vídeos

Em um desabafo emocionado nas redes sociais na última segunda-feira (20), Alexandre Correa, ex-marido da apresentadora Ana Hickmann, acusou o jornalista Leo Dias de...

estudantes apanham na alesp estudantes apanham na alesp

São Paulo

Seis estudantes que se envolveram em tumulto na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) durante protesto contra o projeto de lei sobre a implementação...

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Brasil

Rio Grande do Sul

Brasil

As adversidades causadas por temporais e enchentes no Rio Grande do Sul desde 29 de abril resultaram em um total de 162 mortes, conforme...

Brasil

O casal da campanha AME Jonatas, Aline e Renato Openkoski, foi preso nesta quarta-feira (22) em Joinville, Santa Catarina, após condenação. Os réus foram...

Brasil

A Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) aprovou, nesta terça-feira (21), o projeto de lei que permite a implementação de escolas cívico-militares nas redes...

Prisao Prisao

Brasil

Uma mulher de 27 anos foi detida em flagrante na terça-feira (22) pela Polícia Civil local sob acusação de assassinar sua própria filha, uma...

vereadora Tainá de Paula vereadora Tainá de Paula

Brasil

Na noite de terça-feira (21), a vereadora Tainá de Paula (PT) passou por um momento de tensão ao ser alvo de uma tentativa de...

Brasil

No final da tarde desta quarta-feira (22), os moradores de Pelotas, no Sul do RS, foram surpreendidos por um forte temporal que resultou em...

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO
Facebook
X\Twetter
LinkedIn
WhatsApp
Threads
Telegram
Reddit