sexta-feira, 18 de junho de 2021

Confronto entre palestinos e israelenses deixa mais de 300 feridos em Jerusalém

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 1

Nesta segunda-feira (10), Jerusalém voltou a ser palco de confrontos entre palestinos e israelenses. Pelo menos 300 pessoas ficaram feridas.

Os embates aconteceram no Dia de Jerusalém, data do calendário hebraico que marca a captura da cidade por Israel em 1967 e costuma ser comemorada com centenas de judeus agitando bandeiras e cantando músicas patrióticas enquanto caminham por áreas muçulmanas. Há muito tempo o evento é visto por muitos palestinos como uma provocação deliberada.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 2

Para evitar tensões, as autoridades israelenses decidiram impedir os judeus de passarem pela mesquita Al-Aqsa, terceiro local mais sagrado do Islã, durante a Marcha das Bandeiras desse ano. O problema é que a mesquita em questão também fica no topo do Monte do Templo, que por sua vez é o local mais importante para o judaísmo.

Desde a noite anterior, muçulmanos ficaram de prontidão para defender a sua mesquita al-Aqsa e, pela manhã, centenas de judeus ativistas caminharam até o Monte do Templo, contrariando as ordens das autoridades locais.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 3

Teve início assim o confronto, em que palestinos lançaram pedras e coquetéis molotov. A polícia israelense teve que intervir e respondeu com granadas, balas de borracha e gás lacrimogênio.

O Crescente Vermelho Palestino afirmou que 305 muçulmanos ficaram feridos, sendo que 228 tiveram que ser levados ao hospital para receber tratamento e 7 estão em estado crítico.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 4

Já a força policial israelense apontou que 21 de seus agentes se machucaram, incluindo 3 que precisaram de atendimento médico.

O presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, condenou as ações israelenses. “A invasão brutal das forças de ocupação israelenses e o ataque aos fiéis na abençoada Mesquita al-Aqsa e seus pátios é um novo desafio para a comunidade internacional”, acrescentou o seu porta-voz, Nabil Abu Rudeineh.

Já o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, defendeu a ação da polícia. “Está é uma batalha entre tolerância e intolerância, entre violência sem lei e ordem”, completou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 5
Gazeta Brasil
Gazeta Brasilhttps://www.gazetabrasil.com.br
A Gazeta Brasil é um jornal brasileiro diário editado na cidade de São Paulo. Publica textos, fotos, vídeos no formato digital. Faz parte do grupo AZComm Comunicação e Eventos.
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Últimos artigos