Nos siga em

O QUE ESTÁ PROCURANDO

Estudo revela como a cocaína vicia o cérebro

Últimas Notícias

Estudo revela como a cocaína vicia o cérebro: mecanismo inédito é descoberto

Cientistas do Instituto do Cérebro Friedman, da Escola de Medicina Icahn Mount Sinai, em Nova York, em colaboração com a Universidade Rockefeller, desvendaram um mecanismo cerebral crucial para a compreensão da adição à cocaína e à morfina. O estudo, publicado na revista Science, demonstra como essas drogas se aproveitam dos sistemas naturais de processamento de recompensas do cérebro, levando à compulsão pelo consumo e à disfunção cerebral.

No campo científico, está sendo estudado em profundidade o que acontece no cérebro quando se consome drogas como a cocaína. Agora, pesquisadores em neurociência do Instituto do Cérebro Friedman, vinculado à Escola de Medicina Icahn Mount Sinai, na cidade de Nova York, em colaboração com cientistas da Universidade Rockefeller, nos Estados Unidos, fizeram uma descoberta para compreender melhor a adição.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Eles descobriram um mecanismo cerebral que permite que a cocaína e a morfina se aproveitem dos sistemas naturais de processamento de recompensas. Os resultados da pesquisa foram publicados na revista Science.

O trabalho contribuiu com novos conhecimentos sobre os fundamentos neuronais da adição às drogas e pode oferecer novas perspectivas que sirvam de base para a pesquisa básica, a prática clínica e possíveis soluções terapêuticas.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

“Embora esse campo tenha sido explorado por décadas, nosso estudo é o primeiro a demonstrar que os psicoestimulantes e os opiáceos afetam e alteram o funcionamento das mesmas células cerebrais responsáveis pelo processamento das recompensas naturais”, explicou o Dr. Nestler, autor principal do estudo, que é diretor do Instituto do Cérebro Friedman.

“Essas descobertas fornecem uma explicação de como essas drogas podem interferir na função normal do cérebro e como essa interferência se amplifica com o aumento da exposição às drogas, para, por fim, direcionar compulsivamente o comportamento para as drogas, uma característica distintiva da patologia da adição”, destacou.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

O estudo concentrou-se em identificar mecanismos convergentes de adição em modelos de camundongo através de duas classes diferentes de drogas: a cocaína, um psicoestimulante, e a morfina, um opioide.

Para realizá-lo, foi formada uma equipe altamente interdisciplinar, que utilizou um conjunto de ferramentas e metodologias que abrangem os domínios comportamental, circuital, celular e molecular da neurociência.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Os pesquisadores conseguiram rastrear como os neurônios individuais de uma região do cérebro anterior chamada “núcleo accumbens” respondem a recompensas naturais como comida e água, bem como à exposição aguda e repetida à cocaína e à morfina de uma maneira específica para cada tipo de célula.

Eles descobriram uma população de células que se sobrepõem em grande medida e que respondem tanto às drogas viciantes quanto às recompensas naturais, e demonstraram que a exposição repetida às drogas altera progressivamente a capacidade das células de funcionar normalmente. Isso faz com que o comportamento se oriente para a busca de drogas e se afaste das recompensas naturais.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

“Ao acompanhar essas células, demonstramos que não apenas células semelhantes são ativadas em todas as classes de recompensa, mas também que a cocaína e a morfina provocam respostas inicialmente mais fortes do que comida ou água, e isso aumenta com o aumento da exposição”, apontou o coautor Caleb Browne, que agora é cientista no Instituto de Pesquisa em Saúde Mental da Família Campbell no Centro de Vício e Saúde Mental (CAMH) de Toronto, Canadá.

“Após a abstinência das drogas, essas mesmas células mostram respostas desorganizadas às recompensas naturais de uma maneira que pode se assemelhar a alguns dos estados afetivos negativos observados na abstinência do transtorno de uso de substâncias”, afirmou.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Além disso, a equipe de pesquisa identificou uma via de sinalização intracelular bem estabelecida, conhecida como “mTORC1”, que facilita a alteração do processamento da recompensa natural pelos medicamentos.

Como parte dessa descoberta, os pesquisadores encontraram um gene (Rheb) que codifica um ativador da via mTORC1 que pode mediar essa relação. Pode ser um alvo terapêutico para futuras descobertas em um campo da medicina que atualmente oferece poucos tratamentos eficazes.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Para o futuro, a equipe de pesquisa pretende aprofundar a biologia celular subjacente à neurociência da adição para caracterizar melhor as vias moleculares que podem ser fundamentais para a pesquisa básica e, eventualmente, para a prática clínica.

“Através de nosso trabalho, também estabelecemos um conjunto de dados de referência que integra a ativação neuronal induzida por drogas em todo o cérebro com a cartografia do circuito de entrada do núcleo accumbens, o que pode ser útil para a ampla comunidade científica que conduz a pesquisa de transtornos de uso de substâncias”, disse Bowen Tan, o outro co-primeiro autor do estudo e um estudante de pós-graduação no laboratório do Dr. Jeffrey Friedman, no Instituto Médico Howard Hughes, na Universidade Rockefeller.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

“Desde décadas, sabemos que recompensas naturais, como comida, e drogas viciantes, podem ativar a mesma região cerebral”, disse Friedman. “Mas o que acabamos de aprender é que elas afetam a atividade neuronal de maneiras surpreendentemente diferentes”.

Uma das grandes conclusões é que as drogas viciantes têm efeitos patológicos nessas vias neuronais, que são diferentes, por exemplo, da resposta fisiológica ao comer algo quando se está com fome ou beber um copo de água.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

“O novo estudo publicado na revista Science segue a linha de investigação em modelos animais. Busca-se compreender os mecanismos de recompensa presentes nos seres vivos. Esses mecanismos estão relacionados com a sobrevivência da espécie. São fisiológicos”, explicou o médico psiquiatra Diego Sarasola, professor de psicologia médica na Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nacional de La Plata.

O interessante dos resultados —disse Sarasola ao ser consultado pela Infobae— é que “os pesquisadores descobriram que o mecanismo de recompensa é ativado de forma qualitativamente diferente quando se trata de casos de consumo de drogas de abuso, como a cocaína. Ao contrário do que ocorre fisiologicamente com os mecanismos de recompensa na sede ou fome, que têm uma instância de finalização, esse mecanismo continua sendo estimulado quando se consome substâncias como a cocaína”.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Além disso, destacou o doutor Sarasola, que é diretor do Instituto de Neurociências Alexander Luria, os pesquisadores “identificaram um potencial alvo terapêutico que é um mecanismo de sinalização intraneuronal no cérebro, que poderia ser utilizado para reduzir o consumo de abuso. Claro, deveria ser desenvolvido um tratamento contra esse alvo e avaliado em ensaios clínicos controlados”.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO
Escrito Por

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Destaques

Mundo

Um meteoro cruzou o céu de Portugal na noite deste sábado (18), causando um clarão impressionante que foi registrado por diversas pessoas em diferentes...

Benny Gantz Benny Gantz

Mundo

O número dois do Gabinete de Guerra israelense, Benny Gantz, deu um ultimato ao primeiro-ministro Benjamin Netanyahu neste sábado, exigindo a aprovação de um...

Lamborghini faria lima Lamborghini faria lima

São Paulo

Na tarde deste sábado (18), um motorista de uma Lamborghini perseguiu um motociclista que havia roubado seu relógio Rolex na Avenida Faria Lima, em...

Tony Ramos Tony Ramos

Celebridades

O ator Tony Ramos teve alta da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Samaritano Botafogo neste sábado (18) e foi transferido para a...

Rivaldo Barbosa Rivaldo Barbosa

Destaques

Na sexta-feira (17), o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), recusou o pedido de liberdade feito pela defesa e optou por...

golpe do pix golpe do pix

Brasil

A Justiça do Rio Grande do Sul bloqueou 18 perfis falsos nas redes sociais que se passavam por autoridades ou entidades idôneas para desviar...

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Brasil

Brasil

Em uma operação de resgate humanitário, a Defesa Civil do Amazonas repatriou neste sábado (18) 60 amazonenses que estavam desabrigados no Rio Grande do...

Brasil

Um acidente envolvendo dois veículos resultou na morte do cantor e compositor Guilherme Leon, de 32 anos, na madrugada deste sábado, 18, na Rodovia...

Menina estupro coletivo Recife Menina estupro coletivo Recife

Brasil

Na sexta-feira (17), a Polícia Civil , por meio da 70ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), prendeu na cidade de Juruá, Amazonas, um idoso...

Brasil

A Força Aérea Brasileira (FAB) realizou neste sábado (18) o “Voo do Melhor Amigo”, uma missão que transportou 20 toneladas de ração para auxiliar...

Mega-Sena Mega-Sena

Brasil

Na noite deste sábado (18), ocorreu o sorteio do concurso 2.726 da Mega-Sena, realizado em São Paulo. O prêmio totaliza R$ 30 milhões para...

São Paulo

A Polícia Civil fechou, na sexta-feira (17), uma fábrica clandestina de produção e comercialização de azeites na Estrada Hondo Japão, em Jacareí, no interior...

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO
Facebook
X\Twetter
LinkedIn
WhatsApp
Threads
Telegram
Reddit