Nos siga em

O QUE ESTÁ PROCURANDO

STF
Foto: Carlos Moura/SCO/STF

Justiça

Contribuintes perdem no STF e governo pode cobrar impostos retroativos

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, nesta quinta-feira (16), contra limitar os efeitos de uma determinação da Corte que autorizou a derrubada de decisões judiciais definitivas (que não cabem mais recursos) em casos tributários. Placar é de 7 a 2.

Essa decisão representa uma derrota para os contribuintes e uma vitória para o governo, que poderá cobrar impostos não pagos anteriormente.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

No entanto, o caso ainda não está encerrado, pois o ministro Dias Toffoli solicitou mais tempo para análise, interrompendo o julgamento. A retomada do processo ainda não tem data definida.

Se a maioria mantiver esse entendimento, os contribuintes que se beneficiaram de decisões judiciais para não pagar a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) terão que quitar os valores devidos desde 2007, quando o Supremo determinou a constitucionalidade desse tributo.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Apesar de a discussão envolver a CSLL, o processo em análise tem repercussão geral e afetará todos os casos judiciais relacionados a outros impostos.

A Corte analisava os chamados “embargos de declaração”, tipo de recurso apresentado para contestar eventuais omissões no acórdão. No recurso, a empresa TBM (Têxtil Bezerra de Menezes), de Fortaleza (CE), pede a chamada “modulação de efeitos” para a cobrança.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Em fevereiro deste ano, o STF decidiu pela anulação de decisões judiciais que livram o pagamento de determinado imposto no momento que a Corte validar o tributo. Foi definido, no entanto, que a quebra da decisão é válida desde a data da constitucionalidade do imposto e não a partir do julgamento do caso.

O julgamento dos embargos de declaração começou no plenário virtual do STF em 22 de setembro, mas foi reiniciado com um pedido de destaque do ministro Luiz Fux. Durante a discussão dos recursos no plenário físico, se formaram 3 vertentes nos 7 votos proferidos.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

O entendimento do presidente do STF e relator de uma das ações, ministro Roberto Barroso, já tem maioria. Barroso defendeu o voto já proferido no plenário virtual e manteve o julgamento da Corte. Ele afirma que o STF entende que as decisões devem ter efeito a partir da publicação do acórdão que validou o tributo.

No plenário físico, o posicionamento foi acompanhado pelos ministros Alexandre de Moraes, Cristiano Zanin, Cármen Lúcia e Gilmar Mendes. A ministra Rosa Weber, que se aposentou em setembro, adiantou o seu voto e acompanhou o relator no plenário virtual.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

O ministro Luiz Fux se colocou contrário ao posicionamento de Barroso e defendeu que os tributos sejam cobrados a partir da publicação da ata do julgamento de fevereiro. O magistrado afirma que é necessário garantir “segurança jurídica” em temas tributários. O posicionamento foi acompanhado pelo ministro Edson Fachin.

Já André Mendonça reconhece que a cobrança do tributo se dê a partir de sua validade, mas defende que as multas tributárias não sejam aplicadas nos casos específicos.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

ENTENDA O CASO

O STF analisou em fevereiro o caso da cobrança da CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido), mas a tese serviu para todos os impostos.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Alguns pagadores de impostos tiveram decisões favoráveis no STF para não ter que pagar a CSLL. Mas, ao longo do tempo, a Corte começou a mudar seu entendimento, dando decisões individuais que confirmavam a legalidade da contribuição.

Em 2007, o Supremo decidiu que o imposto é constitucional, em uma ADI (ação direta de inconstitucionalidade, cujos efeitos valem para todos).

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Com a decisão pela quebra automática e sem modulação, no caso discutido (da CSLL), pode ser feita a cobrança de valores devidos desde 2007, quando a Corte definiu que o tributo é válido.

A Corte julgou de forma conjunta 2 processos sobre o tema. Um deles, relatado pelo ministro Edson Fachin, discutiu o que sucede com decisões que livraram o pagamento de impostos quando o Supremo entender que a cobrança é legal em ações que valem para todos (o chamado “controle concentrado” de constitucionalidade).

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

O outro, com a relatoria do ministro Roberto Barroso, analisou a mesma discussão, mas se refere a posições da Corte em ações individuais, que só valem para as partes, o chamado “controle difuso” de constitucionalidade.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO
Escrito Por

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Destaques

EUA mandam submarino de ataque rápido para Guantánamo após navios russos chegarem a Cuba para exercícios militares

Mundo

Navios de guerra russos chegaram a Cuba esta semana para exercícios militares planejados, levando os EUA a responderem enviando o submarino USS Helena à...

boi atropelado boi atropelado

Brasil

Após um boi ser atropelado e a carcaça do animal ficar na avenida principal de São Sebastião (DF), próximo ao balão do Morro da...

Juiz carros leilão revender Justiça Juiz carros leilão revender Justiça

Justiça

Cristiana de Faria Cordeiro, juíza aposentada e professora do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), convidou um condenado por estupro e homicídio de...

Política

Nesta quinta-feira (13), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a defender a taxação de bilionários e criticou a concentração de riqueza entre...

Polícia de SP fecha laboratório do PCC que abastece Cracolândia Polícia de SP fecha laboratório do PCC que abastece Cracolândia

Brasil

Durante a 3ª fase da Operação Downtown, realizada nesta quinta-feira (13) na Cracolândia, região central de São Paulo (SP), a Polícia Civil desmantelou um...

Brasil

A Polícia Civil do Rio de Janeiro divulgou nesta quinta-feira (13) que identificou os líderes do tráfico de drogas responsáveis por ordenar o ataque...

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Brasil

Brasil

O vendedor Caio da Silva Rondão, de 25 anos, que estava desaparecido desde o dia 9 de fevereiro, foi encontrado morto na segunda-feira (10),...

Pai preso filho marteladas Pai preso filho marteladas

Brasil

Na noite de quarta-feira (12), um homem de 84 anos foi detido em flagrante sob acusação de ter cometido estupro contra uma criança de...

Polícia Civil do Amazonas Polícia Civil do Amazonas

Brasil

Nesta quinta-feira (13), a Polícia Civil do Amazonas efetuou a prisão do segundo suspeito envolvido em crimes de abuso sexual contra crianças e transmissão...

Hospital do Rio Grande do Norte usa embalagem de bolo como máscara de oxigênio em bebê de 3 meses que esperava UTI Hospital do Rio Grande do Norte usa embalagem de bolo como máscara de oxigênio em bebê de 3 meses que esperava UTI

Brasil

Um bebê de 3 meses, que precisou usar uma embalagem de bolo improvisada como capacete de oxigênio, recebeu alta da UTI do hospital Varela...

Datena Datena

São Paulo

Em um evento realizado nesta quinta-feira (13/6) no Jaraguá Novotel, na região central da capital paulista, José Luiz Datena (PSDB) lançou oficialmente sua pré-candidatura...

Governo Lula migrantes refugiados Brasil Governo Lula migrantes refugiados Brasil

Brasil

Pelo menos 143.033 pessoas estavam refugiadas no Brasil em 2023. O relatório foi publicado pelo Observatório das Migrações Internacionais (OBMigra), que é vinculado ao...

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO
Facebook
X\Twetter
LinkedIn
WhatsApp
Threads
Telegram
Reddit