Nos siga em

O QUE ESTÁ PROCURANDO

STF
Foto: Gustavo Moreno/SCO/STF.

Justiça

STF vai decidir sobre pensão previdenciária para filha solteira trans

O Supremo Tribunal Federal (STF) está prestes a deliberar sobre a questão da pensão previdenciária para mulheres transexuais que se encontram na condição de filhas solteiras e maiores de idade, especialmente quando a mudança no registro civil ocorre após o falecimento do provedor.

O tema em pauta, abordado no Recurso Extraordinário (RE) 1471538 (Tema 1298), foi reconhecido como de repercussão geral de forma unânime pelo Plenário Virtual. A data para o julgamento do mérito ainda não foi agendada.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

O caso em análise envolve o pedido de uma filha trans de um militar da Marinha falecido em 1998, em Teresópolis (RJ), que realizou a alteração de seu nome e gênero no registro civil 21 anos após a morte de seu pai.

Inicialmente, ela recebia a pensão por morte na condição de filho homem menor de idade, porém, quando atingiu a maioridade, o benefício foi suspenso. Após ter seu pedido de restabelecimento do benefício negado administrativamente, a questão foi levada aos tribunais.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Na Justiça Federal do Rio de Janeiro, foi concedido o direito à pensão, com o fundamento de que o reconhecimento da filiação é um direito intrínseco à condição humana, garantido pela liberdade e autodeterminação asseguradas pela Constituição, bem como pela necessidade de evitar discriminação.

Entretanto, ao analisar o recurso da União, a Turma Recursal da Justiça Federal no RJ revogou a decisão, argumentando que a concessão de benefícios previdenciários deve obedecer à legislação e às circunstâncias vigentes no momento do falecimento do segurado. Como a alteração no registro civil ocorreu 21 anos após o óbito do pai, o pedido de pensão foi negado. Além disso, a Turma Recursal observou que, embora o STF tenha reconhecido a possibilidade de alteração de nome para pessoas transgênero em 2018, não ficou claro se tais alterações têm efeito retroativo.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Em sua manifestação, Luís Roberto Barroso, presidente do STF, explicou que a discussão envolve os efeitos da mudança no registro civil sobre os direitos da personalidade e o acesso a benefícios sociais.

Por isso, ao defender o reconhecimento da repercussão geral do tema, Barroso considerou que a questão vai além dos interesses individuais das partes envolvidas no processo, alcançando a definição da extensão da proteção constitucional da seguridade social às pessoas transexuais.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

O relator destacou que, em decisões anteriores, o STF reconheceu que a identidade de gênero é parte essencial da personalidade humana e que a alteração de prenome e gênero no registro civil é necessária para garantir os direitos à igualdade e ao reconhecimento das pessoas transexuais.

No entanto, Barroso ressaltou que, em nenhum dos casos anteriores, o STF analisou os efeitos específicos da alteração do registro civil no acesso a benefícios previdenciários ou sua repercussão em situações pré-existentes. Portanto, no que diz respeito à concessão de direitos previdenciários, ainda não há uma uniformidade de entendimento nos tribunais quanto à natureza dessa alteração para pessoas transexuais.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO
Escrito Por

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Destaques

André Pedroni Motorista

São Paulo

Na tarde desta quarta-feira (22), o condutor do carro de luxo envolvido no atropelamento de um motociclista em Barueri, na Grande São Paulo, compareceu...

Brasil

Entre quinta-feira (23) e sexta-feira (24), a formação de um ciclone extratropical no oceano, próximo à costa gaúcha, irá acentuar o contraste térmico entre...

Brasil

A denúncia apresentada pelo Ministério Público à Justiça sobre o sequestro da advogada Anic Almeida Peixoto Herdy, de 55 anos, em Petrópolis, revela um...

Vídeos

Em um desabafo emocionado nas redes sociais na última segunda-feira (20), Alexandre Correa, ex-marido da apresentadora Ana Hickmann, acusou o jornalista Leo Dias de...

estudantes apanham na alesp estudantes apanham na alesp

São Paulo

Seis estudantes que se envolveram em tumulto na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) durante protesto contra o projeto de lei sobre a implementação...

adolescente de 16 anos adolescente de 16 anos

São Paulo

O adolescente de 16 anos que confessou ter matado o pai, a mãe e a irmã dentro de casa, na Zona Oeste de São...

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Brasil

Rio Grande do Sul

Brasil

As adversidades causadas por temporais e enchentes no Rio Grande do Sul desde 29 de abril resultaram em um total de 162 mortes, conforme...

Brasil

O casal da campanha AME Jonatas, Aline e Renato Openkoski, foi preso nesta quarta-feira (22) em Joinville, Santa Catarina, após condenação. Os réus foram...

Brasil

A Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) aprovou, nesta terça-feira (21), o projeto de lei que permite a implementação de escolas cívico-militares nas redes...

Prisao Prisao

Brasil

Uma mulher de 27 anos foi detida em flagrante na terça-feira (22) pela Polícia Civil local sob acusação de assassinar sua própria filha, uma...

vereadora Tainá de Paula vereadora Tainá de Paula

Brasil

Na noite de terça-feira (21), a vereadora Tainá de Paula (PT) passou por um momento de tensão ao ser alvo de uma tentativa de...

São Paulo

Policiais civis da 5ª Delegacia Seccional de Polícia de Itaquaquecetuba prenderam na terça-feira (21) duas mulheres, de 19 anos, suspeitas de participarem de uma...

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO
Facebook
X\Twetter
LinkedIn
WhatsApp
Threads
Telegram
Reddit