Nos siga em

O QUE ESTÁ PROCURANDO

Foto: Gustavo Moreno/SCO/STF

Justiça

Gravação clandestina em ambiente privado não pode ser usada como prova em processo eleitoral, decide STF

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que, em processos eleitorais, é ilícita a prova obtida por meio de gravação ambiental clandestina, sem autorização judicial, ainda que produzida por um dos interlocutores, e sem o conhecimento dos demais.

A exceção ocorre somente se a gravação for em local público, sem qualquer controle de acesso porque, nesse caso, não há violação à intimidade.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

A decisão será aplicada a partir das eleições de 2022 e foi tomada no julgamento do Recurso Extraordinário (RE) 1040515, com repercussão geral reconhecida (Tema 979), na sessão plenária virtual encerrada em 26/4.

O recurso foi apresentado ao STF pelo Ministério Público Eleitoral contra decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que anulou a condenação de prefeito e vice-prefeito do Município de Pedrinhas (SE), por compra de votos nas eleições de 2012. O TSE reconheceu a nulidade das provas, pois as gravações que fundamentaram a condenação foram realizadas sem o conhecimento do outro interlocutor.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Prevaleceu no julgamento o voto do relator, ministro Dias Toffoli, no sentido de negar o recurso. Ele lembrou que o entendimento do TSE sobre a matéria vem oscilando, o que, a seu ver, reforça a necessidade de o Supremo firmar uma tese para assegurar a segurança jurídica no processo eleitoral.

Toffoli lembrou que, até o pleito de 2014, o TSE admitia esse tipo de prova apenas quando produzida em local público sem controle de acesso. Para o ministro, essa orientação é a que mais se harmoniza com as peculiaridades do processo eleitoral, em que os interesses e as conveniências partidárias, muitas vezes, se “sobrepõem à lisura de um processo eleitoral conduzido por debates propositivos e voltados para o interesse coletivo”. Em seu entendimento, a gravação em espaço privado, em razão das acirradas disputas político-eleitorais, pode decorrer de arranjo prévio para a indução ou a instigação de um flagrante preparado. Nesse caso, haverá nulidade da prova, pois, além do induzimento, há a violação da intimidade e da privacidade.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Ele ressaltou, no entanto, que a gravação ambiental de segurança, utilizada de forma ostensiva em locais como bancos, centros e lojas comerciais, ou mesmo nas ruas, vem sendo admitida pelo TSE. Em tais hipóteses, segundo o relator, a própria natureza do local retira a expectativa de privacidade.

Para a corrente minoritária, liderada pelo ministro Luís Roberto Barroso (presidente do STF), admite-se como prova do ilícito eleitoral a gravação feita por um dos interlocutores sem o conhecimento do outro e sem prévia autorização judicial, em ambiente público ou privado. Segundo ele, cabe ao julgador reconhecer a invalidade da gravação, se for constatado que o interlocutor foi induzido ou constrangido a praticar o ilícito. Seguiram esse entendimento os ministros Edson Fachin e Luiz Fux, e a ministra Cármen Lúcia.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Foi fixada a seguinte tese de repercussão geral: “No processo eleitoral, é ilícita a prova colhida por meio de gravação ambiental clandestina, sem autorização judicial e com violação à privacidade e à intimidade dos interlocutores, ainda que realizada por um dos participantes, sem o conhecimento dos demais. – A exceção à regra da ilicitude da gravação ambiental feita sem o conhecimento de um dos interlocutores e sem autorização judicial ocorre na hipótese de registro de fato ocorrido em local público desprovido de qualquer controle de acesso, pois, nesse caso, não há violação à intimidade ou quebra da expectativa de privacidade”.

*Com informações de STF

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO
Escrito Por

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Destaques

Entretenimento

Durante o show do cantor sertanejo Gusttavo Lima na última sexta-feira (24) em Cáceres, a aproximadamente 205 km de Cuiabá, uma fã tentou subir...

Alexandre de Moraes TSE Centro Desinformação Alexandre de Moraes TSE Centro Desinformação

Mídia

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Alexandre de Moraes, fez críticas a uma matéria publicada pelo UOL que abordava a estratégia da...

Brasil

 O médico anestesista Walter José Roberte Borges, de 50 anos, natural de Linhares, no Espírito Santo, está em estado vegetativo após sofrer um infarto...

Política

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Alexandre de Moraes, rejeitou o recurso do ex-presidente Jair Bolsonaro para que a decisão que o...

Hamas lança ataque Hamas lança ataque

Mundo

As Brigadas Ezzeldin al Qassam, braço armado do grupo Hamas, anunciaram no domingo um ataque maciço com foguetes contra Tel Aviv, marcando o primeiro...

Qatar Airways Qatar Airways

Mundo

Neste domingo (26), os passageiros do voo QR107 da Qatar Airways enfrentaram momentos de tensão devido a uma forte turbulência enquanto sobrevoavam o espaço...

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Brasil

Brasil

Um incêndio de grandes proporções atinge um prédio comercial no bairro Humaitá, na zona norte de Porto Alegre, na noite deste domingo. Os bombeiros...

São Paulo

Voluntários de uma Organização Não Governamental (ONG) foram assaltados na sexta-feira (24) enquanto retornavam do Rio Grande do Sul pela Rodovia Ayrton Senna, na...

Brasil

Na madrugada deste domingo (26), uma agência da Caixa Econômica Federal localizada em Japeri, na Baixada Fluminense, foi alvo de uma violenta explosão provocada...

São Paulo

No sábado (25), foi lembrado o Dia Internacional da Criança Desaparecida, o governo de São Paulo, por meio da Secretaria da Segurança Pública e...

Brasil

O Ministério Público do Rio Grande do Sul (MPRS) solicitou a intervenção do Exército para assumir a entrega de doações às vítimas da enchente...

Sargento Portugal Sargento Portugal

Brasil

O deputado federal Sargento Portugal (Podemos) usou suas redes sociais para expor um tiro de fuzil que atingiu o veículo de seu motorista na...

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO
Facebook
X\Twetter
LinkedIn
WhatsApp
Threads
Telegram
Reddit