quinta-feira, 17 de junho de 2021

China admite baixa eficácia da Coronavac

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 1

EURONEWS- Num momento de transparência pouco comum, o diretor do Centro de Controlo de Doenças chinês, Gao Fu, confirmou, um dia antes, a baixa eficácia da Coronavac, a vacina produzida pela farmacêutica do país.

Sem revelar valores, a autoridade máxima local de controle da doença reconheceu, numa conferência de imprensa em Chengdu, que as vacinas da Sinovac “não têm taxas de proteção muito elevadas”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 2

Já em janeiro, um estudo realizado pelo Instituto Butantan, de São Paulo, revelava que a Coronavac tinha uma eficácia de 50,38%, um pouco acima do limite de 50% estipulado pela Organização Mundial da Saúde para aprovar o medicamento.

Após ter questionado a segurança da inoculação da Pfizer, Pequim admite agora misturar as doses com produtos de outras farmacêuticas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 3

Maioria das vacinas no Brasil são Coronavac

Centenas de milhões de vacinas foram distribuídas para outros países.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 4

No Brasil, a Coronavac, produzida também a nível local, é a mais usada. Até ao dia 29 de março, 80% de todas as doses administradas eram da farmacêutica chinesa.

Até ao momento, foram vacinadas no país quase 30 milhões de pessoas, cerca de 14% da população. O Brasil enfrenta atualmente a pior fase da pandemia.

 

 

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 5
Gazeta Brasil
Gazeta Brasilhttps://www.gazetabrasil.com.br
A Gazeta Brasil é um jornal brasileiro diário editado na cidade de São Paulo. Publica textos, fotos, vídeos no formato digital. Faz parte do grupo AZComm Comunicação e Eventos.
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Últimos artigos