CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O advogado Sergio Moro declarou nesta quarta-feira (07) que teme sofrer atentados após sua saída do governo de Jair Bolsonaro. Moro também revelou que estão criando e divulgando dossiês contra sua esposa com informações falsas. Em razão disso, o ex-ministro vem sendo pressionado pela família a sair do Brasil e a se distanciar da política.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Moro fez acusações contra o presidente no dia de sua saída do governo, ele disse que não poderia permanecer como ministro da Justiça e Segurança Pública, pois não tinha mais autonomia depois da exoneração do então diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo. Desde então, o presidente, os filhos e apoiadores do governo vem criticando e trocando farpas com Moro nas redes sociais.

“Certamente [tenho medo]. Sigo tendo a proteção da Polícia Federal. Não gosto de falar muito nesse assunto. Isso é algo que assusta pessoas próximas a mim”, afirmou o ex-juiz em entrevista à revista Veja.

Moro ainda enalteceu dizendo que os mesmos métodos usados por apoiadores do governo, também foram utilizados na época da Lava Jato.

“Atacaram minha esposa e estão confeccionando e divulgando dossiês contra ela com informações absolutamente falsas. Ela nunca fez nada de errado. Nem eu nem ela fizemos nada de errado. Esses mesmos métodos de intimidação foram usados lá trás, durante a Lava-Jato, quando o investigado e processado era o ex-presidente Lula”, acrescentou Moro.

Ele fez questão destacar que apesar de sair fazendo acusações graves contra o presidente, jamais quis ser o carrasco do chefe do Executivo.

“A opinião pública compreendeu o que eu disse e os motivos da minha fala. É importante deixar muito claro: nunca foi minha intenção ser algoz do presidente ou prejudicar o governo. Na verdade, lamentei extremamente o fato de ter de adotar essa posição. O que eu fiz e entendi que era minha obrigação foi sair do governo e explicar por que estava saindo. Essa é a verdade”, pontuou.

 
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE