A rede social Twitter censurou uma publicação do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre os protestos violentos em Minneapolis, acusando-o de “enaltecer a violência”.

Na última quinta (28), Trump assinou uma ordem executiva que abre possibilidades para que agências federais possam punir o Facebook, o Google e o Twitter pela forma como policiam os conteúdos online. A medida é uma resposta específica ao Twitter, que nesta semana colocou um alerta em uma mensagem de Trump sobre supostas fraudes eleitorais no país.

A publicação não foi excluída da rede, mas foi ocultado com um aviso padrão: “Este Tweet violou as Regras do Twitter sobre enaltecimento à violência. No entanto, o Twitter determinou que pode ser do interesse público que esse Tweet continue acessível”.

O presidente dos EUA acusa as empresas do Vale do Silício — Twitter e Facebook, em especial — de usarem os seus serviços de verificação de fatos para “censurar vozes conservadoras”.

O tuíte de Trump dizia: “… Esses bandidos estão desonrando a memória de George Floyd, e eu não deixarei isso acontecer. Acabei de falar com o governador Tim Walz e lhe disse que o Exército está com ele até o final. Qualquer dificuldade e assumiremos o controle, mas, quando os saques começarem, os tiros começarão. Obrigado!”.

Confira

Foto: Twitter

Siga a Gazeta Brasil no Instagram