A corregedora-geral do Ministério Público, Elizeta Maria de Paiva Ramos, arquivou, nesta sexta-feira (6), uma representação contra os procuradores Deltan Dallagnol e Thamea Danelol, que estavam sendo acusados de agir, de forma indireta, no pedido de impeachment do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes.

As suspeitas se deram após os vazamentos das conversas publicadas pelo site “The Intercept Brasil”,  em que Danelol pediu para o advogado Modesto Carvalhosa teria pedido ajuda para escrever o pedido de impeachment.

Além desta denúncia, Deltan também responde a outra representação no Conselho Nacional do Minsitério Público (CNMP), que apontou desvio de funcional do procurador, que é o coordenador da força-tarefa da operação Lava Jato.