Ouça essa matéria na integra

Durante uma teleconferência com o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, ele foi questionado pelo correspondente do UOL, Jamil Chade, sobre as recentes declarações do presidente Jair Bolsonaro de que a doença seria similar a um “resfriado”.

O diretor, afirmou que entende a situação da economia, mas pede que o vírus seja levado mais a sério, pois de acordo com ele “Em muitos países,tem muita muita necessidade agora de atendimentos de urgência, por causa da doença. 

Ghebreyesus ressaltou ainda a seriedade do quadro atual sobre o coronavírus. “Como vocês sabem, a pandemia tem acelerado nas duas últimas semanas e, embora o coronavírus seja uma ameaça para todas as pessoas, o que é mais preocupante é o risco que o vírus representa para pessoas já afetadas pela crise”, explicou o diretor-geral que também insistiu na importância de haver condições adequadas para profissionais de saúde, dizendo que eles “são heróis, mas também são humanos” e correm riscos.

Siga a Gazeta Brasil no Instagram