A ex-aliada do presidente Jair Bolsonaro , a deputada Joice Hasselmann (SP), é autora de projetos apresentados com medidas para combater a pandemia do Covid-19, que criam novas despesas para o governo federal. Entre eles, o que prevê a suspensão por quatro meses do uso de cartões corporativos do Palácio do Planalto, relata a CNN Brasil.

O Cartão de Pagamento do Governo Federal (CPGF) é usado para despesas próprias, enquadradas como suprimento de fundos, inclusive em viagens, de integrantes do governo, como o próprio presidente, ministros e servidores. 

Os gastos do presidente da República são considerados sigilosos. No ano passado, a Secretaria Especial de Administração da Presidência desembolsou R$ 9,1 milhões. Parte considerável disso, R$ 7,4 milhões, está na categoria considerada confidencial. Outros R$ 1,56 milhão foram gastos com a compra de passagens aéreas emitidas pelas companhias Gol, Azul e Latam.

Na semana passada, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já havia sugerido que o governo utilizasse recursos dos cartões corporativos, além dos destinados à Secretaria Especial de Comunicação Social do Planalto (SECOM) em ações voltadas ao combate do Covid-19.

Joice também quer restringir o conteúdo da publicidade institucional dos poderes Executivo e Legislativo federal, de estados e municípios, e o uso dos serviços de radiodifusão pública explorados pela União, exclusivamente para anúncios publicitários relacionados ao enfrentamento do novo coronavírus.

 

Siga a Gazeta Brasil no Instagram