quarta-feira, 28 de outubro de 2020

Vacina contra coronavírus, começa a ser testada em humanos hoje

No Reino Unido começa nesta quinta-feira (23) a testar em humanos uma vacina contra o novo coronavírus. Ela foi desenvolvida por pesquisadores da Universidade de Oxford, e tem o apoio do governo britânico, que concederá 20 milhões de euros, e também do Imperial College, que concederá mais 22,5 milhões de euros.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O objetivo dos pesquisadores da Universidade de Oxford é produzir milhões de doses da vacina contra o novo coronavírus no mês de setembro deste ano, considerando que tudo saia como esperado nos testes.

Animado com a possibilidade de o país ser o primeiro a criar uma vacina contra o novo coronavírus, o secretário de saúde do Reino Unido, Matt Hancock, afirmou que o governo investirá na fabricação de vacinas e que elas estarão disponíveis para a população do país assim que possível, considerando que os testes deem certo.

A pesquisa sobre a nova vacina contra a doença chamada covid-19, causada pelo novo coronavírus, começou em fevereiro neste ano. Apenas dois meses mais tarde, ela já foi aprovada para testes em humanos. Os participantes do estudo clínico terão entre 18 e 55 anos de idade.

A vacina será testada em diferentes grupos de pessoas e em diferentes países para garantir resultados representativos. O motivo para isso, de acordo com Sarah Gilbert, que lidera o estudo, é que as taxas de infecção variam muito de lugar para lugar, em razão da adoção de medidas preventivas.

O teste terá a participação de 510 pessoas até maio deste ano e os pesquisadores almejam oferecer as primeiras vacinas para profissionais da saúde, que estão na linha de frente de combate da pandemia, a partir do mês de setembro. O estágio final dos testes, previsto para o segundo semestre, e chegará a 5.000 participantes.

Em uma previsão mais conservadora, a farmacêutica Roche estima que uma vacina contra o novo coronavírus só chegará ao final de 2021.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), existem 70 vacinas em desenvolvimento contra o novo vírus. Poucas estão em testes em humanos. Há duas nos Estados Unidos; uma feita pela empresa de Hong Kong CanSino Biologics e pelo Instituto de Biotecnologia de Pequim; uma da Pfizer na Alemanha; e, agora, uma no Reino Unido.

Em razão à série de testes clínicos necessários para a aprovação de uma vacina, que será aplicada em ampla escala, o tempo de desenvolvimento médio é de dez anos. A vacina mais rapidamente criada foi a contra o vírus ebola, que levou cinco anos para chegar ao mercado, em 2019.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Gazeta Brasil
Gazeta Brasilhttps://www.gazetabrasil.com.br
A Gazeta Brasil é um jornal brasileiro diário editado na cidade de São Paulo. Publica textos, fotos, vídeos no formato digital. Faz parte do grupo AZComm Comunicação e Eventos.

Últimos artigos

Câmara vai gastar mais de R$ 17 milhões em serviços de copa e cozinha

A Câmara dos Deputados abriu licitação milionária de R$ 17.415.043,69 (dezessete milhões quatrocentos e quinze mil quarenta e três reais e sessenta e nove...

Mesa Diretora da Câmara decide enviar caso Flordelis para Conselho de Ética

Por unanimidade, a Mesa Diretora da Câmara decidiu na manhã desta quarta-feira (28) enviar o processo da deputada federal Flordelis para Conselho de Ética....

PGR pede que TSE mantenha Crivella inelegível

O vice-procurador-geral da República (PGR), Humberto Jacques de Medeiros, pediu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que mantenha Marcelo Crivella inelegível e revogue a liminar...

Reino Unido afirma pode disponibilizar vacina contra Covid-19 antes do Natal

A responsável pela aquisição de possíveis vacinas contra Covid-19 no Reino Unido, Kate Bingham, afirmou nesta quarta-feira (28), que um imunizante pode ser disponibilizado...