terça-feira, 13 de abril de 2021

A pirataria de filmes e a direita brasileira

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 1

Após a Disney anunciar que iria cobrar 70 reais para que os assinantes de sua plataforma de streaming pudessem ver o filme Raya e o Último Dragão, surgiu uma forte discussão sobre pirataria, mas ficou claro que boa parte da direita não tem a menor noção de como lutar a Guerra Cultural e sonham em um mundo onde o único assunto existente seja política.

Muitos argumentos, vindos da direita, se baseavam em ‘não dar dinheiro para uma empresa globalista’, mas essa mesma pessoa iria ver o filme de forma pirata. Tem lógica? Claro que não! E é aí que entra o ponto em questão, de que falta aprendermos mais a saber elogiar o bom e criticar o ruim, sem colocar TODAS as obras em uma mesma caixinha para tentar boicotar, e mesmo assim assistir por saber que é algo de alta qualidade.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 2

Na questão do filme de Raya, a pirataria acaba se mostrando uma saída pela questão monetária, mesmo que ainda seja mais barato ir ao cinema do que assistir ao filme em casa. Mas muitos dizem que irão piratear o filme apenas para não dar dinheiro para Disney. Mas se o filme é bom, e não tem conteúdos esquerdistas dentro dele, qual é o problema? E se quer boicotar a Disney, porque piratear? Eles devem produzir mais obras que você gosta, mas você não vai pagar por isso pois não gosta deles? Existe uma enorme falta de lógica.

E a solução para esse problema não é das mais difíceis. Basta pagar para ver o que é bom e não ver (ou piratear, aí sim) aquilo que é péssimo. E não digo ‘bom’ ou ‘ruim’ em questão de qualidade da obra, mas sim se ela vem junto com mensagens globalistas e esquerdistas. Obras assim devem ser fortemente criticadas a todo momento. Mas é muito simples achar que todos os funcionários da Disney são globalistas e nenhum filme é bom. Chega a ser conspiracionista se vender a essa ideia de que todos os longas de Hollywood são feitos unica e exclusivamente com o propósito de lacrar.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 3

Concordo com o ponto de que a esquerda adora colocar suas mensagens em todo lugar. Isso é algo inegável. Basta olhar para a maior parte das obras da Netflix. Mas nem todas são assim. A empresa também produz coisas boas, sem mensagem esquerdistas. Esperar que alguma plataforma só de obras conservadoras apareça, é idiota. Até mesmo porque, em teoria, nem todos os filmes são esquerdistas. A maior parte deles nem tem um lado político, só estão lá para contar uma boa história de uma forma divertida. Um filme ‘conservador’ seria exatamente a mesma coisa que um filme ‘esquerdista’. Seria apenas uma história sendo contada.

A direita, claramente, ainda não aprendeu a lutar a Guerra Cultural. Ainda não entendeu que nem tudo que vem de empresas esquerdistas, é um conteúdo político. Caso você seja de direita e esteja lendo isso, pense um pouco. Defenda o bom e critique o ruim, simples assim. Assista Disney quantas vezes quiser, pois a maior parte dos filmes não estão nem aí para política.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 4

Pare de achar que 100% das coisas querem falar sobre política. Quem faz isso é chato. Alguém que não sabe conversar sobre cinema, artes, quadrinhos… A vida da cultura (filmes e séries) é bem mais do que política. São obras escritas para divertir, e não começar uma revolução comunista. Baixem a bola e entendam isso. Aprendam que o mundo é mais do que política.

“As histórias não se importam com seu lado político. Elas estão aqui para te divertir. Aprecie o bom e rejeite o ruim!”

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 5
Lucas Mertens
Lucas Mertenshttps://gazetabrasil.com.br/
"Muitas ideias às vezes morrem sem nem ver a luz do dia" - Não sei nem quem disse isso, mas é uma frase muito boa. Criado em meio a muita cultura pop, sigo tentando mostrar para o mundo que não se pode ter vergonha de mostrar a sua opinião. Quem tem projetos e ideias, deve fazer acontecer e correr atrás, pois só assim que iremos realmente avançar. Não pare nunca!
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Últimos artigos