Foto: CNN

Os Ministérios Públicos do Rio e de São Paulo deflagraram na manhã desta quinta, 18, a operação Anjo, e prenderam o ex-assessor parlamentar de Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz, em Atibaia, no interior de São Paulo.

Ofensiva foi aberta hoje pelos Ministérios Públicos do Rio de Janeiro e de São Paulo e mira ainda servidor e ex-servidores da Alerj, além de um advogado.

Queiroz foi levado para unidade da Polícia Civil no Centro da capital paulista. Ele deverá passar pelo Instituto Médico Legal e pelo Departamento de Operações Policiais Estratégicas antes de ser ser levado para o Rio.

Os mandados de busca e apreensão e de prisão foram expedidos em um desdobramento da investigação que investiga esquema de rachadinha na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

O ex-assessor foi preso num imóvel do advogado de Flávio, Frederick Wassef, de acordo com o G1.

A operação que prendeu Queiroz em SP`foi comandada pelo delegado Nico Gonçalves, chefe do Dope (Departamento de Operações Policiais Estratégicas) da Polícia Civil.

A unidade foi criada pelo governador João Doria (PSDB-SP) em agosto do ano passado para tratar para coordenar ações em casos sensíveis, como extorsão mediante sequestro, agrupando policiais de diversas delegacias especializadas.