Ouça essa matéria na integra

A defesa do ex-presidente Michel Temer pediu nesta quinta-feira (8) ao juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, autorização para deixar o país entre 25 de novembro de 1º de dezembro para dar palestras na Espanha.

O pedido para a nova viagem acontece 3 semanas depois de Temer voltar de uma viagem à Inglaterra, onde deu palestras na Oxford Union, uma sociedade de debates ligada a alunos da universidade inglesa.

No pedido entregue ontem ao juiz Marcelo Bretas, responsável pelos processos da Lava-Jato no Rio, Temer diz que foi convidado a falar em dois locais.

O primeiro é a Universidade de Salamanca, que receberá uma conferência será sobre “a evolução constitucional do Brasil no contexto das mudanças político-institucionais das últimas décadas”. Segundo a defesa, o convite a Temer foi feito porque o reitor da universidade é “conhecedor de sua importante trajetória política no Brasil, e considerando sua longa carreira acadêmica na área do Direito Constitucional”.

A outra palestra seria no Conselho Empresarial Aliança pela Ibero-América, associação de 140 presidentes de empresas ibero-americanas. A palestra seria sobre perspectivas das reformas econômicas no Brasil. De acordo com a defesa de Temer, a autora do convite escreveu que “seria uma honra se (Temer) aceitasse nosso convite e pudéssemos ouvir em primeira mão sua análise e visão sobre seu país, que para nossos sócios representa um mercado de máximo interesse”.

Na quinta-feira (7), o juiz Marcelo Bretas encaminhou o pedido para o Ministério Público Federal dar um parecer antes de decidir sobre o pedido de Temer.

Em nota, o advogado Eduardo Carnelós, que defende Temer, disse que o ex-presidente “recebeu convite da Universidade de Salamanca, a mais antiga da Espanha e a quarta mais antiga da Europa, e também de importante entidade empresarial ibero-americana.