Foto: reprodução

Ouça essa matéria na integra

O dólar comercial opera nesta segunda-feira, 12, com forte alta. A moeda norte-americana atingiu o nível de R$ 4, reagindo ao resultado das prévias das eleições na Argentina com a derrota do atual presidente do país, Maurício Macri, o que leva investidores a realizar um movimento de proteção. Aqui, as atenções se voltam para a política, com o início da discussão da reforma da Previdência no Senado e a discussão da reforma tributária.

Às 11h29 (de Brasília), o dólar operava em alta de 1,49% no mercado à vista, cotada a R$ 4, depois de oscilar na mínima de R$ 3,986 e máxima de R$ 4,001.

O presidente Macri perdeu as eleições presidenciais primárias no país, realizadas no domingo, 11, para Alberto Fernández, que tem a ex-presidente Cristina Kirchner como candidata a vice em sua chapa. Fernández teve 47,66% dos votos, liderando a disputa com 99,37% das urnas apuradas. Macri teve 32,08% dos votos, de acordo com a mídia local. O pré-candidato Roberto Lavagna ficou em terceiro lugar, com 8,23% dos votos. As eleições serão em 27 de outubro. 

O economista-chefe da Infinity Asset, Jason Vieira, observa que os quinze pontos na derrota de Macri nas prévias é um sinal preocupante e importante para o fluxo de capital estrangeiro em um cenário de retomada gradual deste ciclo na América Latina. “Macri assumiu no passado recente com a promessa de debelar a inflação e adotar medidas liberalizantes na economia, tentando reverter os anos de desastre Kischnerista no país”, avalia, 

Para o diretor da corretora Mirae Asset, Pablo Spyer, as chances de uma vitória do atual presidente argentino são quase nulas, com a oposição tendo a vitória praticamente garantida. “Por isso, os ativos de países emergentes relacionados com Argentina vão sofrer. Vide a reação do real e do peso mexicano”, ressalta.

Por UOL