quarta-feira, 21 de abril de 2021

Papa Francisco e clérigo xiita do Iraque realizam encontro histórico

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 1

O Papa Francisco se reúne com o principal clérigo xiita do Iraque, o aiatolá Ali al-Sistani, que tem grande influência política no país. O pontífice, que já foi vacinado contra a Covid-19, pretende levar uma mensagem de paz e reconciliação.

O Grande Aiatolá Ali al-Sistani disse que as autoridades religiosas têm um papel na proteção dos cristãos do Iraque e que os cristãos devem viver em paz e desfrutar dos mesmos direitos que os outros iraquianos. O Vaticano disse que Francisco agradeceu a al-Sistani por ter “levantado sua voz em defesa dos mais fracos e perseguidos” durante alguns dos momentos mais violentos da história recente do Iraque.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 2

Al-Sistani, 90, é um dos clérigos mais antigos do islamismo xiita e suas raras, mas poderosas, intervenções políticas ajudaram a moldar o Iraque atual. Ele é uma figura profundamente reverenciada no Iraque de maioria xiita e suas opiniões sobre questões religiosas e outras são buscadas por xiitas em todo o mundo.

O encontro histórico na humilde casa de al-Sistani levou meses para acontecer, com cada detalhe meticulosamente discutido e negociado entre o gabinete do aiatolá e o Vaticano.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 3

No início do sábado, o pontífice de 84 anos, viajando em um Mercedes-Benz à prova de balas, parou ao longo da rua Rasool estreita e cheia de colunas de Najaf, que culmina na cúpula dourada do Santuário Imam Ali, um dos locais mais reverenciados no Islã xiita. Ele então caminhou alguns metros (jardas) até a modesta casa de al-Sistani, que o clérigo alugou por décadas.

Um grupo de iraquianos vestindo roupas tradicionais o recebeu do lado de fora. Quando um Francisco mascarado entrou pela porta, algumas pombas brancas foram soltas em um sinal de paz. Ele emergiu pouco menos de uma hora depois, ainda mancando de um aparente surto de dor no nervo ciática que torna difícil andar.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 4

A reunião “muito positiva” durou um total de 40 minutos, disse um oficial religioso em Najaf, que falou sob condição de anonimato porque não estava autorizado a informar a mídia.

O oficial disse que al-Sistani, que normalmente permanece sentado para receber visitantes, se levantou para cumprimentar Francisco na porta de seu quarto – uma honra rara. Al-Sistani e Francis sentaram-se próximos um do outro, sem máscaras. Al-Sistani, que raramente aparece em público – mesmo na televisão – usava vestes pretas e um turbante preto, em simples contraste com a batina toda branca de Francis.

O oficial disse que havia alguma preocupação com o fato de o papa ter se encontrado com tantas pessoas no dia anterior. Francis recebeu a vacina contra o coronavírus, mas al-Sistani não. O idoso aiatolá, que passou por uma cirurgia de fratura no osso da coxa no ano passado, parecia cansado.

O papa tirou os sapatos antes de entrar no quarto de al-Sistani e foi servido chá e uma garrafa plástica de água. Al-Sistani falou durante a maior parte da reunião. Francisco fez uma pausa antes de sair do quarto de al-Sistani para dar uma última olhada, disse o oficial.

O papa chegou mais tarde à antiga cidade de Ur para um encontro inter-religioso no tradicional local de nascimento de Abraão, o patriarca bíblico reverenciado por cristãos, muçulmanos e judeus.

“Deste lugar onde nasceu a fé, da terra de nosso pai Abraão, afirmamos que Deus é misericordioso e que a maior blasfêmia é profanar seu nome odiando nossos irmãos e irmãs”, disse Francisco. “Hostilidade, extremismo e a violência não nasce de um coração religioso: são traições da religião ”.

Os líderes religiosos levantaram-se para cumprimentá-lo. Enquanto Francis usava uma máscara, poucos dos líderes no palco o faziam. A reunião foi realizada à sombra do magnífico zigurate de Ur, o complexo arqueológico de 6.000 anos perto da moderna cidade de Nasiriyah.

O Vaticano disse que os judeus iraquianos foram convidados para o evento, mas não compareceram, sem fornecer mais detalhes. A antiga comunidade judaica do Iraque foi dizimada no século 20 pela violência e emigração em massa alimentada pelo conflito árabe-israelense, e apenas um punhado permanece.

Ali Thijeel, um residente da cidade vizinha de Nasiriyah que participou do evento, disse esperar que a visita do papa incentive os investimentos na área para atrair peregrinos e turistas. “Isso é o que estávamos esperando”, disse ele. “Esta é uma mensagem para o governo e os políticos. Eles devem cuidar desta cidade e prestar atenção à nossa história. ”

O Vaticano disse que a visita a al-Sistani foi uma chance para Francisco enfatizar a necessidade de colaboração e amizade entre as diferentes comunidades religiosas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 5
Gazeta Brasil
Gazeta Brasilhttps://www.gazetabrasil.com.br
A Gazeta Brasil é um jornal brasileiro diário editado na cidade de São Paulo. Publica textos, fotos, vídeos no formato digital. Faz parte do grupo AZComm Comunicação e Eventos.
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Últimos artigos