Foto: reprodução/divulgação

O governo do tucano João Doria determinou nesta sexta-feira (27), o confisco de 500 mil máscaras para profissionais de saúde de uma empresa de Sumaré (SP), chamada 3M.

Essa foi uma das medidas para enfrentamento da epidemia do coronavírus (Covid-19) no estado.

Em nota, a 3M destaca que ficou surpresa com a ação do governo de São Paulo, uma vez que havia se comprometido a fornecer 120 mil respiradores [máscaras de uso dos profissionais de saúde] ao longo de abril e que aprovou a expansão do volume para 500 mil, aguardando apenas a colocação do pedido por conta do governo.

A ação foi tomada baseada no artigo 3 da lei federal 13.979, de fevereiro deste ano, que trata de uma série de medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública. É a primeira ação do Estado nesse sentido.

Veja nota na íntegra:

“A empresa esclarece que vem recebendo diversas solicitações de respiradores, de órgãos públicos de todo o País. Especificamente com relação ao governo do estado de São Paulo, a empresa ressalta que já havia se comprometido com o fornecimento de 120 mil respiradores ao longo do mês de abril e que aprovou a expansão deste volume para 500 mil, aguardando apenas a colocação do pedido por conta do Governo. A ação do governo do Estado, portanto, causa surpresa para a empresa. A companhia reforça que aumentou sua produção e tem investido grandes esforços desde o início do surto, e trabalha para fornecer a todos dentro de sua capacidade produtiva. A empresa está comprometida a continuar apoiando e colaborando com a saúde pública no que se refere ao coronavírus.”

Siga a Gazeta Brasil no Instagram