Foto: reprodução

O ministro e presidente interino do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, fez nesta quarta-feira (27), um discurso em defesa do STF e seus ministro.

Fux afirmou que “não há democracia sem respeito às instituições”:

“o Brasil é testemunha de que o Supremo Tribunal Federal de ontem e de hoje atua não apenas pela independência de seus juízes, mas também pela prudência de suas decisões, pela construção de uma visão republicana de país e pela busca incansável da harmonia entre os Poderes”.

Ele acrescentou que o STF “mantém-se vigilante em prol da higidez da Constituição e da estabilidade institucional do Brasil”.

O presidente interino da Corte aproveitou para elogiar o decano, Celso de Mello, “líder incansável desta Corte na concretização de tantos direitos e garantias fundamentais dos cidadãos brasileiros”:

“Sua Excelência, aguerrido defensor dos valores éticos, morais, republicanos e democráticos, é, a um só tempo, espectador e artífice da nova democracia erguida em 1988, cuja solidez é o maior legado das presentes e das futuras gerações”.

Fux também afirmou que o STF “mantém-se vigilante contra qualquer forma de agressão à instituição, na medida em que ofendê-la representa notório desprezo pela democracia”:

“Este Supremo Tribunal Federal, no exercício de seu nobre mister constitucional, trabalha para que, onde houver hostilidade, construa-se respeito; onde houver fragmentação, estabeleça-se diálogo; e onde houver antagonismo, estimulem-se cooperação e harmonia.”

Siga a Gazeta Brasil no Instagram