Foto: Carolina Antunes/PR

Ouça essa matéria na integra

Integrantes do PSOL protocolaram na manhã desta sexta-feira (8), no Ministério Público Federal em Minas Gerais uma representação para anular o decreto do presidente Jair Bolsonaro (PSL), que transferiu a Secretaria Especial de Cultura para o Ministério do Turismo e a nomeação do diretor de teatro Roberto Alvim para liderar a subpasta.

De acordo com a representação, o decreto é “inconstitucional e revela o caráter autoritário do governo Bolsonaro”.

O pedido também alega que a mudança “invade a competência do Congresso Nacional”, porque só poderia ser feita por meio de medida provisória ou projeto de lei.

Já sobre Alvim, a representação diz que a nomeação para o cargo “não indica que houve interesse público, mas pessoal e particular, orientado  ideologicamente, com o único objetivo de perseguir as bandeiras a área da cultura nacional”.

 O pedido foi apresentado pela deputada federal Áurea Carolina (MG), e a vereadora de Belo Horizonte, Cida Falabella.