Foto: Roda Viva

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, impediu as prefeituras de Sete Lagoas (MG) e Cabedelo (PB) para flexibilizar o isolamento. Ambos os prefeitos são contra as medidas adotadas pelos governos dos respectivos estados para tentar conter a pandemia da covid-19.

No entanto, Toffoli afirmou que, no entendimento do STF, cabe aos entes federados a coordenação na adoção de medidas para o enfrentamento do novo coronavírus. Segundo ele, os decretos municipais não podem impor normas de flexibilização que afrontem as decisões dos governadores.

A prefeitura de Sete Lagoas editou dois decretos municipais sobre a reabertura do comércio. A cidade é um caso de sucesso no combate à pandemia. Entre outras medidas, a prefeitura fez uma parceria com duas universidades para a instalação de um laboratório próprio com capacidade para aplicar mais de 200 testes por dia, que têm os resultados liberados em 24 horas.

Neste sábado, a taxa de ocupação dos leitos de UTI estava em 26,5%. Até o momento, o único óbito foi um morador que contraiu a covid-19, foi tratado e faleceu no Tocantins.

Em Cabedelo, a cidade alegou ter políticas públicas suficientes para garantir o retorno das atividades. Além disso, a prefeitura argumentou que o município tem boas condições para atender pessoas que venham ser contaminadas pela covid-19.

Segundo a argumentação, o governo estadual não tem conhecimento sobre as realidades locais de cada cidade. Por isso, não é possível exigir que os municípios se vinculem a autorizações e decisões de órgãos estaduais.

Siga a Gazeta Brasil no Instagram