Nos siga em

O QUE ESTÁ PROCURANDO

Quênia

Destaques

Protestos contra impostos no Quênia: 17 Mortos em Confrontos e Exército é Acionado

O governo do Quênia ordenou nesta terça-feira o desdobramento do exército para lidar com a “emergência de segurança” causada pelos protestos contra um projeto de lei de aumento de impostos que abalaram o país a ponto de manifestantes invadirem o Parlamento em Nairóbi e uma repressão severa que resultou na morte de pelo menos 17 pessoas.

“As Forças de Defesa do Quênia estão sendo desdobradas em 25 de junho de 2024 em apoio ao Serviço Nacional de Polícia”, afirmou o ministro queniano da Defesa, Aden Duale, em um breve decreto publicado no The Kenyan Gazette (Diário Oficial do Estado).

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

O deslocamento militar ocorre “em resposta à emergência de segurança causada pelos protestos violentos em curso em várias partes da República do Quênia, que resultaram na destruição e violação de infraestrutura crítica”, acrescentou Duale.

A ordem foi emitida depois que a polícia se viu sobrecarregada pelas manifestações, principalmente em Nairóbi, epicentro de protestos sem precedentes na história recente do país.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Pelo menos 17 pessoas morreram nesta terça-feira no Quênia nos graves protestos contra um novo projeto de lei que prevê aumentos de impostos, após um dia de mobilizações sem precedentes na história recente do país que culminaram na invasão do Parlamento, confirmou à agência EFE uma plataforma composta por uma vintena de ONGs.

Segundo detalhes de uma fonte do Grupo de Trabalho sobre Reformas Policiais do Quênia (PRWG-Kenya), que inclui organizações como a Anistia Internacional (AI), 14 das mortes ocorreram em Nairóbi, onde a polícia abriu fogo sem sucesso para impedir que os manifestantes acessassem o prédio do Parlamento. Além disso, as ONGs documentaram até agora 86 feridos e 52 prisões, sendo pelo menos 43 delas na capital queniana, acrescentou a fonte, que preferiu não se identificar.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

“Apesar das garantias dadas pelo governo de que o direito de reunião seria protegido e facilitado, os protestos de hoje degeneraram em violência. Observadores de direitos humanos e profissionais médicos relataram vários incidentes de violações de direitos humanos”, lamentou em comunicado conjunto o PRWG-Kenya.

A plataforma também afirmou ter registrado pelo menos 21 “sequestros e desaparecimentos” de ativistas nas últimas 24 horas, perpetrados por agentes “uniformizados e não uniformizados”, embora dois dos afetados já tenham sido libertados.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Em um comunicado, a presidente do Supremo Tribunal e chefe do Poder Judiciário do Quênia, Martha Koome, manifestou nesta terça-feira sua “profunda preocupação” com os sequestros, classificando-os como um “ataque direto ao Estado de direito, aos direitos humanos e ao constitucionalismo”, e pediu que “qualquer ação criminal seja processada de forma legal”.

Por sua vez, o líder da oposição e ex-primeiro-ministro do Quênia, Raila Odinga, acusou nesta terça-feira o governo de “desencadear a força bruta” contra os “filhos do Quênia” por meio de uma “repressão violenta e mortal aos jovens manifestantes pacíficos”.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

“Vozes discordantes estão sendo silenciadas pela brutalidade e pelo assassinato”, denunciou Odinga após a repressão policial no prédio do Parlamento e nos arredores no centro de Nairóbi.

O líder da coalizão Azimio la Umoja, principal partido da oposição, exigiu em comunicado que o governo do presidente William Ruto pare de “matar os filhos do Quênia” e interrompa o controverso Projeto de Lei de Finanças de 2024, que prevê aumentos de impostos e outras medidas e gerou uma onda de protestos liderada por jovens em todo o país.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

“Não podemos tolerar nem toleraremos mais um minuto dessa onda de assassinatos e violência”, acrescentou Odinga, que acusou o governo de suspender a Constituição e pediu a suspensão do processo legislativo. “Esta lei não é uma emergência nem uma questão de vida ou morte para o governo e os quenianos (…). O ponto de partida para acabar com este derramamento cruel de sangue é que o governo retire imediata e incondicionalmente”, argumentou. Caso contrário, previu, a violência persistirá, expressando seu apoio à “luta pela justiça e pela libertação econômica”.

Odinga também pediu a intervenção da Comunidade da África Oriental (CAO), da União Africana (UA) e da ONU para “salvar vidas e salvar o país”.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Na terceira jornada de manifestações na última semana e ao som de “Ruto deve sair, Ruto deve sair!”, referindo-se ao presidente queniano, os manifestantes, em sua maioria jovens, invadiram o Parlamento nesta terça-feira através do Senado, apesar da dura resposta da polícia, que abriu fogo para impedir o assalto.

O que começou como uma manifestação pacífica de milhares de jovens contra os aumentos de impostos na capital queniana – e em outras cidades em pelo menos 29 dos 47 condados do país – transformou-se em um confronto entre as forças de segurança e os manifestantes.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Durante a invasão ao Parlamento, os invasores destruíram móveis, janelas e bandeiras, acusando os políticos de “traidores”, depois que 195 deputados votaram preliminarmente a favor do controverso Projeto de Lei de Finanças de 2024, contra 106 votos contrários, embora falte a votação final.

Com esta lei, o governo pretende arrecadar 2,7 bilhões de dólares em impostos adicionais para reduzir o déficit orçamentário e a dívida do estado. No entanto, os manifestantes antigovernamentais argumentam que essas medidas fiscais estão empurrando a população para a pobreza.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Na terça-feira passada, mais de 300 pessoas foram detidas em Nairóbi, enquanto na quinta-feira houve pelo menos 105 prisões em todo o país e 200 pessoas ficaram feridas na capital, com duas mortes de manifestantes resultantes desses protestos (uma supostamente devido ao impacto de um gás lacrimogêneo e outra por um disparo da polícia).

Ao contrário dos protestos antigovernamentais historicamente vividos no Quênia, frequentemente violentos e liderados por líderes políticos, essas manifestações foram convocadas por jovens da chamada ‘geração Z’ (pessoas nascidas entre meados dos anos 90 do século XX e a primeira década do século XXI) e mantiveram até agora um tom pacífico.

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

(Com informações da EFE)

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO
Escrito Por

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Destaques

PF polícia federal

Brasil

A Operação Falsa Moléstia, realizada pela Polícia Federal (PF) em conjunto com a Receita Federal na manhã desta quarta-feira (17), investiga o uso de...

Governo Lula estuda taxar fundos imobiliários e Fiagros Governo Lula estuda taxar fundos imobiliários e Fiagros

Política

Ao defender a empresários a política de inclusão social e a distribuição da riqueza do país, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse...

Política

Na terça-feira (16), o Senado Federal aprovou um projeto de lei (PL) que visa assegurar a continuidade dos estudos para alunos do ensino básico...

Juíza encerra processo criminal contra Trump sobre documentos secretos da Casa Branca Juíza encerra processo criminal contra Trump sobre documentos secretos da Casa Branca

Mundo

O governo do Irã refutou as alegações de participação em conspirações para assassinar o ex-presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, que sofreu um...

Comissão do Senado adia votação de proposta que amplia autonomia e transforma Banco Central em empresa pública Comissão do Senado adia votação de proposta que amplia autonomia e transforma Banco Central em empresa pública

Política

Em entrevista ao Jornal da CBN, Henrique Meirelles, ex-presidente do Banco Central (2003-2010) e ex-ministro da Fazenda, defendeu a PEC 65/2023, que cria uma...

pitbull pitbull

Brasil

A Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) prendeu em flagrante o homem responsável pela brutal agressão a uma cachorra da raça pitbull, de...

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO

Brasil

Brasil

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) aprovou um empréstimo de US$ 100 milhões, equivalente a cerca de R$ 540 milhões, destinado a projetos de...

Brasil

Na Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Uatumã, a 247 km de Manaus, foi inaugurada a primeira escola da floresta, um marco para os ribeirinhos...

Últimas Notícias

A aquisição de um terreno de dez mil metros quadrados no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste do Rio de Janeiro, por uma empresa vinculada...

Rio de Janeiro Rio de Janeiro

Brasil

A zona oeste do Rio de Janeiro amanheceu nesta quarta-feira (17) com o 3º dia da Operação Ordo, promovida pelo governo estadual como uma...

Após 8 meses internado, bebê que nasceu com menos de 900 gramas recebe alta em Minas Gerais Após 8 meses internado, bebê que nasceu com menos de 900 gramas recebe alta em Minas Gerais

Brasil

Nos primeiros momentos após o nascimento, os recém-nascidos são avaliados em uma escala de zero a dez, conhecida como Apgar, que considera aspectos como...

São Paulo

Nos primeiros cinco meses de 2024, o estado de São Paulo registrou 2.441 mortes por acidentes de trânsito, o maior número para o período...

CONTINUE LENDO APÓS O ANÚNCIO
Facebook
X\Twetter
LinkedIn
WhatsApp
Threads
Telegram
Reddit