segunda-feira, 23 de novembro de 2020

Estudo revela que vermífugo reduz carga viral da Covid-19

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Um artigo que traz os dados completos do estudo financiado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovações (MCTI), aponta que o vermífugo nitazoxanida reduz a carga viral em pacientes com covid-19 e é benéfico na resolução dos sintomas da doença após sete dias de seguimento. Os resultados parciais foram divulgados na segunda-feira (19) no Palácio do Planalto.

O governo federal apresentou um gráfico de barras tirado de um banco de imagens ilustrando a eficácia do medicamento. Em um vídeo da conclusão do estudo, o narrador explica que ao mesmo tempo em que o gráfico é mostrado “o resultado comprovou de forma científica a eficácia do medicamento na redução da carga viral na fase precoce da doença”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O ministro Marcos Pontes alegou que o estudo completo ainda não foi divulgado na cerimônia, pois os dados tinham que ser inéditos para a publicação em periódico científico.

A divulgação dos dados completos foram publicados na sexta-feira (23), através da plataforma medRxiv, que possui os artigos na versão pré-print,  que ainda não foram publicados em revistas científicas e nem passaram por revisão de outros pesquisadores.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Segundo o artigo, 392 pacientes fizeram parte do estudo, e 194 tomaram nitazoxanida durante cinco dias enquanto outros 198 receberam placebo. Na pesquisa foram incluídos apenas os quadros leves, ainda nos cinco primeiros dias de sintomas.

Porém, depois dos cincos dias de tratamento, os pacientes estavam com os sintomas era similar nos dois grupos: tanto o medicado quanto o placebo, o que indica que a administração da droga não fez diferença. No estudo, essa etapa foi avaliada como “desfecho primário”, ou seja, o principal indicador de monitoramento.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Após uma semana, que já é considerado “desfecho secundário”, os pacientes que relataram completa resolução dos sintomas foi de 78% no grupo que tomou nitazoxanida e 57% no grupo placebo, o que representa diferença significativa estatisticamente falando.

Outra questão positiva foi que houve um aumento no índice de pacientes que apresentaram exame PCR negativo após sete dias uso do medicamento: 29,9% ante 18,2%. Diferenças significativas de ocorrência de eventos adversos entre os dois grupos não foram detectadas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Gazeta Brasil
Gazeta Brasilhttps://www.gazetabrasil.com.br
A Gazeta Brasil é um jornal brasileiro diário editado na cidade de São Paulo. Publica textos, fotos, vídeos no formato digital. Faz parte do grupo AZComm Comunicação e Eventos.
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Últimos artigos

Sâmia Bomfim testa positivo para Covid-19

Nesta segunda-feira (23), a deputada federal Sâmia Bonfim (PSol) disse que testou positivo para Covid-19. Ela passa bem e está sem sintomas agudos, informou...

Barroso: ‘Conservadorismo radical busca acabar com a democracia’

Durante lançamento de um curso de Direito, o ministro do STF Luis Roberto Barroso afirmou nesta segunda-feira (23) que o populismo e o conservadorismo...

Governo quer privatizar transposição do Rio São Francisco

Privatizar transposição Rio São Francisco O Governo Bolsonaro pretende privatizar até julho de 2021 a operação de funcionamento da transposição do Rio São Francisco. A...

Guedes: “Ninguém entregou tanto em tão pouco tempo” como o Governo Bolsonaro

Guedes Governo Bolsonaro O ministro da Economia Paulo Guedes afirmou nesta segunda-feira (23), durante live promovida pelo ICC Brasil, que “ninguém entregou tanto em tão...

Vacina chinesa terá eficácia revelada na 1ª semana de dezembro

O governo tucano de São Paulo anunciou nesta segunda-feira (23), que os testes clínicos da Coronavac, vacina chinesa desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em...