quinta-feira, 22 de abril de 2021

VÍDEO: Foguete atinge base aérea que abriga tropas dos EUA no Iraque

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 1

Um ataque de foguete contra uma base militar liderada pelos EUA no norte curdo do Iraque matou na segunda-feira (15) um empreiteiro civil e feriu cinco outras pessoas, incluindo um membro do serviço dos EUA, de acordo com relatórios iniciais, disse a coalizão dos EUA no Iraque.

Foi o ataque mais mortal que atingiu as forças lideradas pelos EUA em quase um ano no Iraque, onde as tensões aumentaram entre as forças dos EUA, seus aliados iraquianos e curdos de um lado e as milícias alinhadas com o Irã do outro

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 2

O porta-voz da coalizão, coronel Wayne Marotto, confirmou à AFP que o contratante morto não era iraquiano, mas não pôde dar detalhes imediatos sobre a nacionalidade da vítima.

Um comunicado do Ministério do Interior da região do Curdistão, disse que vários foguetes foram disparados contra Erbil e seus arredores por volta das 21h30, horário local, e algumas pessoas ficaram feridas, mas não ofereceu mais detalhes.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 3

Um grupo que se autodenomina Saraya Awliya al-Dam assumiu a responsabilidade pelo ataque à base liderada pelos EUA, dizendo que tinha como alvo a “ocupação americana” no Iraque. Ele não forneceu evidências para sua afirmação.

Após o ataque, as forças de segurança posicionadas ao redor do aeroporto e helicópteros puderam ser ouvidos nas margens da cidade, disse um correspondente da AFP.  

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 4

Não houve reivindicação imediata de responsabilidade, embora alguns canais de propaganda pró-Irã tenham sido os primeiros a relatar o ataque. 

– Violações do cessar-fogo –

Locais militares e diplomáticos ocidentais foram alvo de dezenas de foguetes e bombas à beira de estradas desde o final de 2019.

A grande maioria atingiu a capital iraquiana, Bagdá, embora as forças iranianas tenham disparado mísseis no aeroporto de Arbil em janeiro de 2020, poucos dias depois que Washington assassinou o general Qasem Soleimani no aeroporto de Bagdá.

Desde então, rajadas de foguetes atingem regularmente a embaixada dos EUA em Bagdá, com autoridades americanas e iraquianas culpando facções linha-dura pró-Irã, incluindo Kataeb Hezbollah e Asaib Ahl al-Haq.

Esses grupos se opõem veementemente à coalizão liderada pelos EUA, que está sediada no Iraque desde 2014 para ajudar as forças locais a derrotar o grupo do Estado Islâmico.

Desde que o Iraque declarou vitória contra o EI no final de 2017, a coalizão reduziu para menos de 3.500 soldados no total, 2.500 deles americanos.

A maioria está concentrada no complexo militar do aeroporto de Arbil, disse uma fonte da coalizão à AFP.

Mas mesmo quando a coalizão retirou mais forças, os ataques com foguetes continuaram, para a crescente frustração de Washington. 

Em outubro, os EUA ameaçaram fechar sua embaixada em Bagdá, a menos que os ataques parassem.

O governo iraquiano facilitou uma trégua indefinida com grupos linha-dura e os ataques de foguetes quase pararam. 

Mas houve violações, a mais recente das quais foi um jato de foguetes contra a embaixada dos Estados Unidos em 20 de dezembro.

– Tensões com a Turquia –

O último ataque ocorreu em meio a tensões crescentes no norte do Iraque, onde a vizinha Turquia tem travado um feroz assalto terrestre e aéreo contra o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK).

O PKK combate uma insurgência contra o Estado turco desde 1984, usando as montanhas escarpadas do vizinho norte do Iraque como base de retaguarda. 

Frustrada com os ataques contínuos, a Turquia lançou uma grande operação contra o PKK em junho de 2020, usando UAVs, ataques aéreos e forças terrestres para limpar as áreas de fronteira.

Houve poucos comentários do governo curdo no norte do Iraque ou de autoridades em Bagdá.

Mas, nos últimos dias, facções armadas pró-Irã fizeram seus comentários públicos mais duros sobre as incursões. 

Asaib Ahl al-Haq disse que se a Turquia expandisse suas operações militares para o enclave estratégico do noroeste de Sinjar, reagiria, aparentemente para defender a soberania iraquiana.

Outra facção pró-Irã, Ashab Ahl al-Kahf, afirmou na segunda-feira que atacou uma base militar turca ao longo da fronteira com o Iraque.

Ashab Ahl al-Kahf é considerado por oficiais iraquianos e ocidentais como uma “cortina de fumaça” para outros grupos, e a AFP não pôde verificar independentemente as alegações de um ataque com foguete na fronteira. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE 5
Gazeta Brasil
Gazeta Brasilhttps://www.gazetabrasil.com.br
A Gazeta Brasil é um jornal brasileiro diário editado na cidade de São Paulo. Publica textos, fotos, vídeos no formato digital. Faz parte do grupo AZComm Comunicação e Eventos.
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Últimos artigos