CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse nesta sexta-feira (29) que a popularidade do presidente Jair Bolsonaro é passageira. Ele definiu como  “efêmero”,  “vai durar até setembro”argumentando que ele se baseia no auxílio emergencial de 600 reais pagos a vulneráveis durante a pandemia da covid-19 e que a manutenção do benefício neste patamar é insustentável. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“É efêmero, porque é sazonal, vai durar até setembro”, disse em referência ao prazo em que será pago o coronavoucher.

“A população brasileira é uma população pobre, e se empobreceu ainda mais na pandemia. Quando você coloca um auxílio emergencial com 600 reais, isso muda a perspectiva de vida dessas pessoas. Estamos falando de 90 milhões de pessoas recebendo 600 reais por mês. Não estou dizendo que não mereçam receber, mas este gesto, sendo do governo federal, contribuiu para melhorar a avaliação do presidente da República”

Doria disse que 30% do que chamou de “bolsominions, extremistas, que defenderão Bolsonaro em qualquer circunstância”, ao mesmo tempo que foi duro ao criticar o que classificou de “populismo” durante a pandemia.

“É muito grave transformar a pandemia num instrumento populista de geração de renda com recursos do Tesouro”, disse.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE