O ministro da Defesa, general Fernando Azevedo, disse em entrevista ao  Estadão nesta segunda-feira (13), que avalia junto aos comandantes das Forças Armadas e  Advocacia-Geral da União (AGU) medidas que podem ser tomadas contra o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes.

No sábado (11), Gilmar Mendes disse que o Exército está se associando a um “genocídio”, em referência à crise sanitária instalada no País em meio à pandemia de covid-19.

Azevedo afirmou estar “indignado” com o que ele considera serem “acusações levianas” do ministro do STF. Ele disse ainda que “está avaliando com os comandantes de força a situação, considerando todos os aspectos”.

Os comandantes e Azevedo passaram o domingo conversando por telefone para traçar uma estratégia de reação à fala do ministro do STF.

Não está descartada a possibilidade de o governo acionar a própria Justiça para cobrar uma retratação de Gilmar.