CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Nesta quinta-feira (20) a ministra da Família, Mulher e Direitos Humanos, Damares Alves, anunciou que pediu uma investiagação sobre o vazamento de dados sigilosos da menina de dez anos, que engravidou após ter sido estuprada pelo tio, em São Mateus, no Espírito Santo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A ministra encaminhou um ofício para o Ministério da Justiça e Segurança Pública solicitando a apuração caso. Em razão de ferir o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) e o Código Penal Brasileiro, a ministra registra o encaminhamento do caso à PF (Polícia Federal), incluindo também a articulação com a Polícia Judiciária do Espírito Santo para o indiciamento dos responsáveis.

“Estamos trabalhando para garantir que todas as providências para o esclarecimento dos fatos sejam tomadas. Não iremos deixar nada passar com relação a esse triste caso. Chega de crianças e adolescentes sofrendo abusos neste país. Chega de impunidade”, declarou Damares.

O vazamento

No último domingo (16) a militante Sara Fernanda Giromini, mais conhecida como Sara Winter, expôs nas redes sociais os dados da criança e de sua família – de forma ilegal ela teve acessoa detalhes do caso.- Após o ato o MP-ES (Ministério Público do Espírito Santo entrou com uma ação civil pública contra Giromini.

Na quarta-feira (19) o órgão solicitou a condenação de Sara e o pagamento de indenização a título de dano moral coletivo, no valor de R$ 1,32 milhão, que será revertido ao Fundo Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente. A reportagem não conseguiu contato com Giromini.

O tio da vítima, que praticava o estupro contra a criança, foi preso nesta terça-feira (18) pela Polícia Civil do Espírito Santo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE